Home»Artigos»A fotografia de moda e o comportamento humano

A fotografia de moda e o comportamento humano

4
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

A fotografia de moda pode ser considerada um meio de se estudar a história e o comportamento da sociedade, já que os registros fotográficos de marcas de roupas e revistas do gênero estabelecem uma ligação muito forte entre a moda, a fotografia e o comportamento.

Estudiosos de sociologia e antropologia consideram a fotografia de moda como um dos melhores registros para o estudo da sociedade. É através dessas fotos que podemos verificar claramente em que momento a moda e a sociedade estavam na determinada época em que esses registros foram feitos. E mais: é possível determinar ainda o que os homens e, principalmente as mulheres – que dominaram as fotos de moda por muito tempo – queriam e como elas queriam ser vistas.

O advento da fotografia de moda se deu na década de 1930. Como a moda não é só feita de roupa, mas como essas roupas são vestidas, os catálogos de revistas femininas dos anos 30 mostram claramente os gestos e posturas típicas da época. Poses feitas pelas modelos que, se estampadas em revistas nos dias de hoje, seriam engraçadas.

É nesse momento da história que fica evidente a capacidade da fotografia de mostrar movimentos, gestos e posturas que as mulheres viviam em determinada época. Se formos analisar as fotografias de moda desses últimos 80 anos, é fácil perceber mudanças significativas a cada década.

Adolph de Meyer

Adolph de Meyer foi o primeiro fotógrafo contratado pela revista de moda mais renomada do mundo, a Vogue. Ele é considerado pioneiro nesse tipo de fotografia e o responsável pela união da arte e da moda, que até então, estavam desassociadas.

Meyer tinha um estilo específico: as fotos eram nítidas no centro e desfocadas nas laterais. Com isso, segundo o próprio fotógrafo, a intenção era passar um efeito de sonho. As figuras femininas eram tratadas com delicadeza, como elementos passivos na sociedade. O que elas eram nos anos 20 e 30.

Foi com Meyer que a fotografia de moda passou a ter um papel definido na sociedade, um papel de classificar o estilo da época e não apenas documentar e fazer propaganda de um produto, mas também ser um instrumento conceitual e artístico.

fotografia de moda - gertrude_vanderbilt_whitney

Man Ray

Os momentos em que a arte vivia também eram representados nas técnicas fotográficas dos principais fotógrafos de moda, principalmente a partir dos anos 1920, com o dadaísmo e o surrealismo. Essas vertentes artísticas tiveram influência direta nas fotografias de moda da época.

Um dos principais fotógrafos que usaram esses elementos artísticos em seus trabalhos fotográficos foi Man Ray, que produziu imagens consideradas, por muitos, bizarras – assim como as obras do dadaísmo e surrealismo.

O trabalho de Man Ray era mais simples, sem produções e cenários elaborados. A intenção do fotógrafo com isso era dar ênfase aos movimentos do corpo, à postura da mulher e à peça de roupa retratada.


fotografia de moda

Martin Munkácsi e a moda na década de 30

Martin Munkácsi foi o fotógrafo responsável por criar, ainda na década de 30, um estilo fotográfico chamado de comportamentista. Ele foi pioneiro em produzir fotografias de moda ao ar livre, mostrando mulheres em situações espontâneas e sem pose.

fotografia de moda - martin-munkacsi-the-portrait-in-action-the-puddle-jumper-1934-lady-with-umbrella

Munkácsi disse em um artigo para a Harper’s Bazaar em 1935 que era necessário nunca mandar as modelos posarem. “Deixe que se movam naturalmente. Todas as grandes fotografias hoje são instantâneas. Tire imagens por trás. Tire correndo […] Escolha ângulos inesperados, mas nunca sem razão.”

Esse movimento foi essencial e marcou ainda mais o papel da fotografia de moda no comportamento da sociedade.

Outros dois fotógrafos surgiram com a mesma proposta: Irving Penn e Richard Avedon. Penn tinha uma atenção especial nas formas perfeitas de suas imagens.

fotografia de moda - irving-penn-1949

Avedon, ao contrário, era mais como Munkácsi: produções com elementos dramáticos e inesperados.

fotografia de moda - richard-avedon-twiggy-lawson-1968

A fotografia de moda pós década de 1960

A partir da metade dos anos 60, o corpo passa a ter uma atenção mais sexual e as fotografias passam a ter uma identidade mais sensual e erótica.

fotografia de moda - EPSON scanner image

Na década de 80, essa identidade se intensifica, com a adição da valorização do corpo e das formas perfeitas. A cultura gay também ganha espaço e o modelo masculino entra em cena, definindo também os padrões masculinos.

A fotografia de moda e o consumo

Diante deste cenário a fotografia de moda passa a ter como fundamento, causar consumo, criando um desejo de consumo no público, e os fotógrafos criam campanhas específicas para atender cada marca em especial. Uma das mais emblemáticas foram as campanhas publicitárias da Benetton, por exemplo, na década de 80, com modelos representando todas as raças e mostrando que o consumo é acessível.

fotografia de moda - benetton

Desde então, a fotografia de moda tem uma característica mais publicitária que artística, como era até a década de 60.

Um dos principais fotógrafos dessa era, que continua em exercício até hoje, é David LaChapelle, que produz fotos com composição decorativa e não conceitual, não necessariamente relacionando o tema das roupas, com o ambiente do cenário.

fotografia de moda

A moda e a fotografia de moda continuam a metamorfose e continuam ditando e retratando comportamentos que caracterizam a geração da época registrada. Nos resta aguardar as próximas décadas e ver o que nos espera.

Comentários

comentários

Post anterior

A Canon C300 Mark II chegará com diversas novidades

Próximo post

Regulamentação da profissão de fotógrafo fica mais próxima de acontecer