Home»Artigos»Processo fotográfico – Sistema para alterar imagens ópticas nos arquivos de imagens

Processo fotográfico – Sistema para alterar imagens ópticas nos arquivos de imagens

2
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

Os processos fotográficos mantêm vivos momentos especiais da vida e eterniza-os através das fotografias. As máquinas fotográficas cada dia mais vêm se adequando as necessidades de evolução da tecnologia e sua demanda também.

Diferente do século passado, atualmente quase todos têm acesso a ter uma câmera fotográfica em casa e assim fica fácil eternizar os melhores momentos vividos no dia a dia.

Seja para admirar a natureza, guardar um momento especial ou mesmo tirar uma famosa selfie, é importante entender o funcionamento das câmeras para então maximizar seus resultados e transformar esses momentos em grandes obras de artes da tecnologia moderna.

Vamos lá? 

A tecnologia a favor da qualidade fotográfica

Diferente do século passado, atualmente é muito comum ver fotos cada vez mais perfeitas, o que minimiza os efeitos dos softwares de restauração das imagens.

Isso acontece devido às facilitações tecnológicas que trazem cada dia mais facilidade ao nosso dia a dia, tornando indivíduos comuns em verdadeiros fotógrafos.

Hoje em dia, tirar fotos é muito comum e tirar fotos excelentes está se tornando cada vez mais comum mediante a variedade de recursos que são embutidos nas câmeras, ainda que as mais simples.

Entender o que são os processos fotográficos tem a ver com a exposição da imagem, as melhorias que se obtém através do controle das mesmas, da velocidade do obturar, valor de abertura e sensibilidade do sensor da imagem é importante para alcançar melhores resultados e efeitos nas imagens. 

O que é exposição na fotografia/ conceito

Os processos fotográficos se relacionam com a exposição em uma foto, significa a quantidade de luz recebida pelo sensor da câmera. Deste modo, a variação da quantidade de luz recebida indicará se a foto ficará superexposta ou subexposta.

Nos casos de subexposição, a foto não recebe luz suficiente e fica com aspecto de mordida, desprovidas de detalhes devido às áreas pretas na mesma. Esse efeito é demonstrado na imagem abaixo, no lado esquerdo da tela.
processos fotograficos

Já nos casos de superexposição, nos processos fotográficos, a foto recebe muita luz e fica com aspecto de queimada, ou seja, com áreas desprovidas de detalhes devido à quantidade de áreas brancas, conforme ilustrado na imagem acima, ao lado direito.

Sendo assim, achar o modo ideal de fotografar é encontrar o equilíbrio entre os dois pontos de superexposição e subexposição, e assim não prejudicar a imagem e não perder detalhes na mesma, conforme ilustrado na imagem acima no centro da mesma, entre os pontos superexpostos e subexpostos.

Velocidade do obturador

Também conhecido como tempo de exposição, a velocidade do obturador faz referência ao tempo que o mesmo leva para abrir e fechar permitindo a passagem da luz que irá sensibilizar o sensor que irá formar a imagem.
processos fotograficos
De modo geral, nos processos fotográficos, quanto menor a velocidade do obturador, menos luz será absorvida no interior da máquina e maior a abertura do diafragma, mantendo assim uma exposição adequada.

O tempo de exposição é normalmente utilizado no formato 1 / x, onde x representa a fração em segundos. Os valores comumente utilizados são:

  • 1/8000 s
  • 1/4000 s
  • 1/2000 s
  • 1/1000 s
  • 1/500 s
  • 1/250 s
  • 1/125 s
  • 1/60 s
  • 1/30 s
  • 1/15 s
  • 1/8 s
  • 1/4 s
  • 1/2 s
  • 1 s
  • B (inicial de modo bulb) — O modo bulb é o modo de controle no dedo ou com o disparador, onde o tempo do obturador fica aberto para entrar luz sensibilizando a imagem.

O valor de abertura

A abertura do diafragma nos processos fotográficos está localizada na lente. Assim como no olho humano, a abertura do diafragma trabalha de modo parecido com a pupila, se contraindo e expandindo de acordo com a luminosidade do ambiente, se moldando a visão adequada da imagem.
processos fotograficos 

Deste modo, a abertura da lente proporciona o efeito de controlar a quantidade de luz que passa pela mesma até atingir o sensor.

A distância focal (f) indica o ângulo de abertura que a lente proporciona e o Valor de Abertura indica os valores de limites mínimos e máximos que essa abertura trabalha.

De modo prático, por exemplo, se uma lente possui abertura f2.8 significa que a mesma possui uma abertura máxima onde a Distância Focal (f) é dividida por 2,8. Se nesse exemplo, a Distância Focal de uma lente 100mm seria igual a 100/2.8 = 35,7mm de diâmetro.
processos fotograficos

É importante salientar que a abertura física não é a Abertura do Diafragma, no entanto, ela diz qual a limitação daquela lente para captar mais ou menos luz de acordo com a abertura do diafragma.

Sensibilidade do sensor de imagem

A sensibilidade do sensor (ISO) é a amplificação ganha do sinal elétrico fornecido pelo mesmo. Sendo assim, quanto maior a sensibilidade, maior o sinal elétrico e sinal da conversão do sinal e, portanto, maior exposição a imagem terá.

Depois de aprender tanto sobre processos fotográficos, o que está esperando para comprar sua câmera digital fotográfica?
processos fotograficos

A sensibilidade altera o ruído nas fotos conforme sua ampliação, clareando a imagem, no entanto amplificando seus pixels coloridos trazendo uma má formação da imagem como um todo.

Sendo assim, se o bom sinal for amplificado, o mau sinal também será amplificado, havendo cada vez mais parasitas conforme a sensibilidade for aumentada.
A sensibilidade das máquinas atuais atinge 12800 ISO, o que permite uma invisibilidade de ruído até 3200 ISO.

Em termos práticos, o ideal é manter a configuração em 100 ISO para dias ensolarados, 200 ISO se o dia estiver nublado e 400 ISSO em ambiente interno, como dentro de casa. No entanto esse valor pode subir caso haja necessidade e o ambiente solicitar, geralmente em locais muito escuros como casas de shows, espetáculos, etc.

Controle de exposição 

Ao se deparar com um cenário maravilhoso, é comum querer eterniza-la através da fotografia. No entanto embora a imagem esteja perfeita a nossos olhos, nas lentes da câmera pode não conseguir reproduzir do modo mais perfeito possível, exatamente pela variação de luminosidade do local.

Apesar do uso dos modos de superexposição e subexposição, a maioria das câmeras DSLR, é possível alterar a exposição das fotos para mais ou menos através de um botão.
processos fotograficos

Deste modo, ao selecionar a exposição de acordo com um índice de brilho, a própria câmera se encarregará de selecionar o tempo de exposição ou abertura a fim de manter a imagem mais exposta ou menos exposta, de acordo com a melhor visibilidade.

Comentários

comentários

Post anterior

OS MAIORES FOTÓGRAFOS BRASILEIROS DA ATUALIDADE AINDA VIVOS

Próximo post

Workshop sobre fotografia de pets com Lionel Falcon