Home»Artigos»Como a profundidade de campo afeta suas fotografias ?

Como a profundidade de campo afeta suas fotografias ?

6
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

Todo fotógrafo trabalha com o objetivo de registrar as melhores fotos nos melhores contextos e ângulos possíveis.

Na busca, incessante, de obter um conjunto de imagem extremamente satisfatório, esses profissionais, amantes da fotografia, aprofundam-se, ao máximo, nos conhecimentos técnicos de sua arte, voltando sua total atenção para as ferramentas que são disponibilizadas nas câmeras e lentes de que fazem uso.

A profundidade de campo é um dos mecanismos de expressão mais importantes na individualidade que é vista nos trabalhos fotográficos.

Determinada por componentes básicos, esta profundidade é o resultado final de três importantes componentes do momento do “clique”, são eles: a abertura da lente de câmera, a distância focal e focagem. A seguir, veremos cada um desses processos que permitem o alcance desejado.

Profundidade de campo
profundidade de campo imagem

Entende-se por este conceito, de profundidade de campo, a área de focagem, que é visível ao olho humano, tanto atrás quanto na frente do plano principal.

Matematicamente falando, é comum que esta profundidade seja percebida na proporção dois terços atrás e um terço na frente do plano da foto.

Ao enquadrar determinada imagem, no visor da câmera digital, o plano focal, que pode ser tanto automático quanto manual, de acordo com o modo que o fotógrafo se sinta mais seguro, mais os assuntos destacados na foto, através de um destaque bem direcionado, confere ao retrato um ar de seriedade profissional que a profundidade de campo é determinante para constituir.

É importante ressaltar que esta ferramenta pode estar presente nos mais diversos tipos de imagem, variando desde todos os extremos da fotografia até num mesmo rosto, em que, por exemplo, os cílios podem estar em destaque enquanto que a ponta do nariz sofre um pequeno desfoque.

A abertura, a distância focal e a distância de focagem
profundidade de campo aspectos

Costumeiramente ajustada à abertura, a profundidade de campo tem sua capacidade reduzida sempre que a abertura da lente for grande, seguindo a regra das grandezas inversamente proporcionais.

Quanto à distância focal, outro fator de vital importância, é que em lentes grande angular o alcance da profundidade de campo é visivelmente maior do que em lentes super telefotos.

Por fim, o terceiro grande influenciador na constituição da imagem com profundidade, a distância de focagem, estabelece que quanto mais próximo à câmera estiver do objeto de destaque, menor será a profundidade alcançada no “clique”.

A abertura, a distância focal e a distância do objeto, tido como principal, em relação ao fundo da imagem, são os grandes responsáveis por determinar a aparência que o segundo plano terá. Por isso, ao usar profundidades reduzidas para fotografar imagens, preste atenção em qual será a área de desfoque para que sua foto não sofra prejuízos.

Dica de ouro: “Bokeh”, termo literal para a expressão desfoque, é o codinome utilizado para definir as áreas sem contorno e sem foco. As lentes que possuem qualidade estrutural conseguem capturar um fundo suave de cores. Dê preferência a elas.

Usando o visor para verificar a profundidade de campo

Antes e depois de pressionar o botão do disparador, é bem simples e fácil verificar a profundidade alcançada nas câmeras DSLR.

No processo que antecipa a captura, é possível que o fotógrafo visualize a profundidade, no corpo da câmera, que se encontra próximo a lente. Ao mesmo tempo em que o botão é pressionado, através do visor, é possível fazer essa avaliação prévia.

Nas DSRL também é possível fazer a primeira foto e, depois, através do visor LCD, verificar a profundidade real do campo que foi fotografado.

A-DEP: Profundidade de campo automática AE
profundidade de campo automatica

Nas câmeras EOS mais básicas há um seletor que possibilita a escolha do modo de profundidade de campo automática AE (A-DEP).

Com este modo selecionado é possível encontrar o melhor ponto da área da imagem, através de uma análise do próprio equipamento, que possibilita o alcance de uma profundidade específica e ampla para o retrato.

Além disso, o modo A-DEP pode ser usado em fotos de grupo, de paisagens ou de qualquer outra natureza em que a profundidade de campo seja requerida como maior.

Uma das grandes vantagens em se trabalhar neste modo é que ele é automaticamente configurado, permitindo, assim, que todas as fotos possuam valores de profundidade corretos para seu contexto.

Mas, vale lembrar: Se os valores de velocidade do obturador e de abertura não parecerem adequados ao fotógrafo, é possível readequar levantando o dedo do disparador e reposicionando a câmera num ponto diferente.

Em seguida, para garantir que a mudança trouxe melhorias visíveis, aperte o botão do disparador, até a metade, assim a A-DEP poderá fazer os novos cálculos, possibilitando o registro da foto.

Profundidade de campo ampla ou reduzida?
profundidade de campo tipos

Quer entender, de maneira prática, quais são as diferenças visíveis entre esses dois tipos de profundidade? Veja:

Profundidade de campo reduzida:

1- Possível em lentes de abertura grande, com número f sempre pequeno;

2- Capacidade presente em lentes telefotos com abertura máxima;

3- Sempre que o assunto está próximo;

4- Através da distância, longa, entre assunto e fundo.

Profundidade de campo ampla:

1- Abertura de lente sempre pequena, com f elevado;

2- Uso de lente grande angular;

3- Facilmente obtida com o assunto distante;

4- Sempre que a distância for curta entre o assunto principal e o fundo.

Dicas de uso:
profundidade de campo dicas

É possível obter uma reduzida profundidade de campo no registro de fotos, cujos assuntos mantêm-se numa curta distância, utilizando lentes super telefotos ou de grande abertura. Entretanto, para que essa profundidade seja aumentada, é necessário fazer uso de lentes grandes angulares ou que oferecem uma pequena abertura.

Vale lembrar que, portanto, o assunto principal pode sempre ser destacado através de uma profundidade de campo reduzida. Esse recurso trabalhará no desfoque de elementos do segundo plano, que atuam como distrações ao objetivo da foto.

Em retratos, a dica é usar lentes que permitam uma grande abertura, com profundidade de campo reduzida.

Para situações em que é preciso manter o foco de ambos os planos, ou seja, do primeiro e do segundo, comum nas fotografias de paisagens, é indicado a utilização de pequenas aberturas para o êxito do trabalho.

Observando a profundidade alcançada nas fotos
profundidade de campo fotos

A profundidade de campo é um dos principais recursos a que o fotógrafo pode recorrer para constituir fotos marcantes e únicas.

É comum observarmos este elemento fotográfico nos mais diversos contextos da fotografia e, sua importância, baseada no valor final da imagem, é um dos meros detalhes que fazem com que esta ferramenta seja uma das principais no ramo.

Você, já conhece este recurso? Com toda certeza, após ler este texto, deve estar empolgado para pôr em prática tudo o que foi ensinado! Mas, primeiramente, que tal compartilhar com a gente suas experiências fotográficas mais incríveis? Deixe-nos um comentário e contribua com o processo de enriquecimento dessa arte!

Comentários

comentários

Post anterior

Novidades no Flickr e Google Fotos

Próximo post

Dicas rápidas para a fotografia de ação