Home»Artigos»Autorretrato profissional com ferramentas simples por Lia Konrad

Autorretrato profissional com ferramentas simples por Lia Konrad

1
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

Nem todo fotógrafo dispões de todos os recursos que a área precisa, incluindo um exército de ajudantes para criar fotografia profissional e dramática, fugindo da produção básica. Lia Konrad é uma fotógrafa de 23 anos que trabalha em uma pequena cidade da Alemanha, mas não deixou que os modestos recursos a impedissem de seguir sua paixão por criar Autorretrato profissional épicos inspirados em seu amor pelos contos de fadas, mitos e histórias de ficção.

“Como um fotografa iniciante na área, eu não tenho muitos acessórios de foto e vídeo ou qualquer contato com designers, mas eu queria criar coisas épicas de qualquer maneira. Durante os primeiros dois anos, fotografei minhas imagens com uma Câmera Profissional Canon e uma lente Canon 50mm 1.8, comprei algumas bombas de fumaça e acessórios básicos, como rebatedores de estúdio e iluminadores. Coloquei meu vestido e retoquei a imagem eu mesmo em aplicativos de edição como Photoshop. E o resultado foi isso: Autorretrato profissional“, diz ela.

“A visão do projeto começou com a visão do traje, como um grande fã do Senhor dos Anéis, sempre me apaixonei pelas roupas nos filmes, especialmente com as dos elfos”, diz ela. “O protetor de peito de prata é inspirado pelo Dark Galadriel no primeiro filme e a saia e as mangas são inspiradas pelos elfos de Rivendell.” Depois de ficar impaciente com sua busca pelo traje certo, Konrad fez a fantasia sozinha. “Tudo começa com uma idéia maluca”, disse ela.

Seu trabalho mais recente com Autorretrato profissional foi intitulado de “A Bizarre Heart” é uma série do que ela chama de “Autorretrato profissional e épico” de uma heroína. Começou com uma visão sobre o traje, mas Konrad foi inicialmente impedida com a falta de roupa ou um local para encenar as imagens que Surgiu de sua imaginação. Então procurou trabalhar com os recursos que tinha em mãos.

O fluxo de trabalho em “A Bizarre Heart” seguiu seu padrão estabelecido, “No começo eu organizei alguns detalhes, adquiri uma máquina de fumaça e fiz eu mesma a roupa.” O resultado de seu trabalho duro e solitário foi a viralização das imagens, que começaram a aparecer em diversas redes sociais, muitos sites e blogs de fotografia profissional a chamaram para entrevistas para saber do processo de criação de seu trabalho.

Comentários

comentários

Post anterior

Fotografia de arquitetura: Como mandar bem ao capturar essas imagens ?

Próximo post

OS MELHORES FILMES SOBRE FOTOGRAFIA: THE SEPTEMBER ISSUE