Home»Artigos de Foto e Vídeo»Dicas para conseguir fotografia de vida selvagem com qualidade profissional

Dicas para conseguir fotografia de vida selvagem com qualidade profissional

eMania
4
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

Com o número de interessa em fotografia de vida selvagem aumentando e a modernidade e avanço tecnológico acompanhando seu crescimento, hoje em dia é possível expandir os conhecimentos os limites e nos aproximar de animais selvagens como nunca antes.

No entanto, por ser um tipo de fotografia relativamente novo, isso permite explorarmos técnicas e fazermos combinações de diferentes equipamentos, o que está resultando em um número maior de pessoas se envolvendo nesse tipo de fotografia. Neste artigo vamos trazer algumas técnicas novas e dicas de como configurar sua câmera DSLR adequadamente, além de evitar erros e armadilhas comuns na fotografia de vida selvagem.

Monte sua Armadilha com a Câmera.

Isso quer dizer deixar a câmera estacionada em um ponto estratégico, sem vigilância por qualquer período de tempo. A maneira mais comum de se fazer fotografia de vida selvagem é utilizar um sensor que detecta quando um animal cruza com a câmera e aciona o disparador remotamente.

As câmeras fotográficas geralmente utilizadas eram pequenas e compactas e não proporcionavam muita tecnologia de resolução e captura. Embora tenham ajudado a criar um método de estudo e monitoramento dos animais e da vida selvagem elas não ofereciam a qualidade de imagem necessária (especialmente à noite) e isso limitava os fotógrafos.

fotografia de vida selvagem

Nos últimos anos, a tecnologia para configurar uma câmera DSLR de alta qualidade tornou-se mais fácil de usar e mais acessível. Isso levou a um rápido aumento no número de fotógrafos (amadores e profissionais) usando armadilhas de câmera para empurrar os limites da fotografia de vida selvagem.

As armadilhas para câmeras ganharam popularidade porque oferecem uma série de vantagens únicas:

  • Uma armadilha da câmera pode ser deixada para fora por muito tempo, aumentando as possibilidades de fotografar animais muito tímidos ou raros.
  • Você pode configurar a iluminação de forma mais dramática ou sutil para tirar imagens deslumbrantes de animais à noite.
  • Você pode ter uma ou mais armadilhas de câmera trabalhando para você ao mesmo tempo!

Equipamentos Fotográficos

Então você tem uma DSLR ou pretende adquirir uma para fazer fotografia de vida selvagem? Kits Básicos de fotografia já suprem as principais necessidades para esse tipo de fotografia. Uma Câmera DSLR, lente fotográfica (mesmo a lente do kit) e um flash speedlite já servem como boa base para fotografar vida e animais selvagens.

Em seguida, você precisa de uma maneira de detectar quando um animal está na frente da câmera. Existem dois tipos de sensores comumente usados ​​para isso: interruptores de feixe e sensores de movimento PIR. Sensores de movimento PIR são os sensores que são usados ​​em alarmes de casa e lojas contra roubo e furto. A sensores PIR tem uma série de benefícios como baixo consumo de energia, pequenas dimensões e facilidade de usar.

Os sensores de ruptura de feixe, também conhecidos como sensores de IR ativos, requerem um emissor de feixe e um detector que dispara a câmera quando o feixe é interrompido. Eles são geralmente mais desafiadores para usar, pois é necessário alinhar precisamente os dois dispositivos, além de consumir muita energia e ter rápido desgaste.

O flash speedlite para câmera DSLR deve ser profissional, com sistema de transmissão TTL (sem fio). Funções TTL, I-TTL e E-TTL: Esse tipo de informação é algo muito importante em entender na hora da aquisição de seu Flash, pois trata-se da compatibilidade de corpo: I-TTL para Nikon; E-TTL para Canon e TTL para demais câmeras. Com este tipo de tecnologia a câmera mede a quantidade de luz sobre o ambiente e transmite ao flash que proporciona iluminação na medida certa antes para cada tipo de cena ou animal na fotografia de vida selvagem.

Se você quiser experimentar realizar fotografia de vida selvagem com iluminação mais avançada, então você pode usar dois ou mais flashes para preencher sombras e para iluminar diferentes partes da cena. Ao utilizar vários flashes, você precisará definir manualmente a saída de energia. É mais fácil conectar os flashes à câmera usando radio flash sem fio para dslr.

Configurações da Câmera:

Para uma boa fotografia de vida selvagem, é necessário definir previamente as configurações de exposição e iluminação, afim de capturar automaticamente fotos bem expostas, tanto de dia como de noite.  Claro que cada cena exigirá um certo tipo de configuração, mas seguem algumas dicas de configurações de muita importância que podem te ajudar em qualquer ocasião:

  • Modo de exposição manual
  • Obturador: 1 / 250s – Rápido o suficiente para congelar movimento
  • Abertura: f / 8 ou f / 11 – Dá-lhe muita profundidade de campo.
  • ISO: Auto – Se possível, limite o ISO máximo a 800 ou 1.600 para que você não receba muito ruído.
  • Modo de disparo único (para evitar criaturas noturnas estroboscópicas).
  • Defina manualmente a saída do flash para que a cena fique corretamente exposta à noite (teste no escuro para verificar a exposição do flash).

Essas configurações funcionam porque, à noite, a câmera seleciona um ISO alto e você pode fugir com o uso de flashes de baixa potência. Durante o dia, a câmera irá selecionar uma ISO inferior para expor a cena e os flashes, em seguida, apenas fornecer uma pequena quantidade de luz de preenchimento.

fotografia de vida selvagem

Post anterior

ALEX WEBB: DE HARVARD PARA O UNIVERSO FOTOGRÁFICO

Próximo post

8 curiosidades da fotografia que você precisa conhecer !