Por que testar as suas lentes novas é tão importante?

Por que testar as suas lentes novas é tão importante?

Lentes novas permitem que você experimente novos estilos e aprimore suas habilidades de fotografia. Afinal, deve passar pelo processo de adaptação ao novo equipamento que adquiriu.

Elas, no entanto, não são baratas. Por isso, devemos ter todo o cuidado possível para que possamos usufruir da peça pelo maior tempo possível.

Esse cuidado deve começar no momento em que você recebe sua lente, pois nem sempre ela está em perfeito estado. Por isso, separamos dicas de como testar as suas lentes depois de recebê-las. Confira!

Por que testar lentes novas?

Se você comprou a sua lente pela internet, ela pode sofrer danos durante o envio. Dessa forma, você pode ter gasto um dinheirão em um pedaço de vidro quebrado. Por isso, é importante testar a sua lente assim que receber. Quanto mais rápido você encontrar um problema, mais rápido poderá tratá-lo com o fornecedor.

Lembre-se que um pequeno desalinhamento na sua lente pode causar um grande problema em equipamentos de alta resolução. Ou seja, olhar para a embalagem não será o suficiente para detectar o prejuízo.

Sendo assim, você deve utilizar uma abordagem metódica para verificar as funções da lente e o desempenho ótico visível. Não precisa procurar muito para encontrar problemas e, se houver algum, você será capaz de identificá-lo com este método.

O que verificar nas suas lentes?

Antes de começar a fazer os testes, pare um segundo e olhe por cima da lente. Os vidros dianteiros e traseiros estão limpos e sem danos? Você também pode olhar através das lentes para verificar se há fungos, embora isso normalmente só seja um problema com lentes mais antigas. Além disso, verifique o funcionamento de todos os anéis. Eles dão zoom e focam suavemente? Todos os interruptores laterais estão operacionais? Preste atenção nos detalhes.

Iniciando o teste

Para começar o teste, pegue sua nova lente, câmera e tripé. Se não tiver um tripé à mão, pode facilmente usar uma superfície estável como uma bancada ou mesa – a ideia é apenas remover qualquer fonte de vibração. Você também vai querer alguma iluminação forte. A luz solar funciona melhor se não estiver flutuando, a luz da janela é aceitável e uma boa iluminação contínua também funcionará.

Por último, você deve apostar em um bom alvo. Uma superfície plana de alto contraste, claramente impressa, funciona melhor. Para isso, você pode comprar um gráfico de teste, como este Siemens Star Test, este cartão de foco de lente, ou imprimir o seu próprio a partir de um arquivo como este gráfico de resolução EIA na Wikipedia.

Ajuste as configurações

Tente o seu melhor para posicionar sua câmera de forma que ela fique voltada para a parede. Certifique-se de que você está longe o suficiente para o alvo não estar muito próximo à distância mínima de foco da lente. Na sua câmera, haverá algumas configurações principais a serem configuradas: modo AF, tipo de obturador e atraso de liberação do obturador.

Eles podem variar de acordo com o seu modelo, portanto, verifique seu manual ou procure no Google a configuração adequada para o seu aparelho. Para configurações gerais, vale testar tanto em aberto quanto em f / 8, no ISO base. A velocidade do obturador não é particularmente relevante, mas é melhor evitar o intervalo entre cerca de 1/5 de segundo e 1/100 de segundo para reduzir o risco de movimento induzido pelo espelho ou obturador.

Se você estiver no modo de visualização ao vivo, algumas câmeras podem usar AF com detecção de contraste em vez de detecção de fase. Isso pode esconder problemas com a calibração do foco em comparação à detecção de fase, então eu recomendo testar cada modo, pelo menos totalmente aberto, para verificar o desempenho do foco.

Se possível, configure o obturador de sua câmera para o modo de cortina frontal eletrônica e habilite os modos de espelho levantado ou de atraso de exposição. Tudo isso pode ajudar a eliminar o último potencial borrão do movimento ou atividade da câmera. Idealmente, você ficará com a imagem mais nítida possível para tirar suas conclusões.

Testando

Assim que sua câmera estiver configurada, comece a capturar algumas imagens. Para uma comparação fácil, vale começar com o zoom out, testando uma abertura ampla e uma abertura estreita, mas não impactada por difração, como f / 8. A partir daí, vá para alguns outros pontos ao longo da faixa de zoom, capturando os dois conjuntos de valores de abertura.

A ideia ao capturar essas imagens é que você pode verificar se há disparidades nas imagens. Se um lado for significativamente mais nítido, você pode ter um elemento descentrado. Se você tiver um problema significativo de suavidade, maior nível de aberração cromática, vinheta ou alguma outra questão, provavelmente poderá identificar o que há de errado comparando as fotos em diferentes distâncias focais ou configurações de abertura.

Depois de ter suas imagens capturadas, tudo se resume a uma verificação cuidadosa. Os grandes problemas que você está procurando na série de paredes são níveis muito diferentes de nitidez nos cantos, vinhetas excepcionalmente altas para a lente em questão ou erros no alvo.

Esses erros podem ser uma perda de contraste, foco perdido, desfoque colorido, etc. Se você acha que está vendo algo, reserve um tempo para executar novamente o conjunto de imagens, pois pode ter sido apenas um erro no teste. Se ainda estiver lá, no entanto, essa lente pode ter um problema.

A boa notícia: esses erros são incomuns. Dessa forma, a chance de você ter que lidar com algo assim não é grande. Ainda assim, não deixe de fazer a testagem do seu equipamento quando ele chegar, para que você não seja surpreendido no meio de uma sessão de fotos.

SOBRE NÓS

O Blog eMania é voltado para o segmento fotográfico, filmagem e cinema. Trazemos dicas de equipamentos, tutoriais, notícias, curiosidade, reviews e comparações de produtos para facilitar a vida do fotógrafo e cinegrafista profissional e amador.

[site_social_icons]