A história da pioneira Fujifilm

0 105
Tempo de leitura: 3 minutos

A Fujiilm é considerada pioneira no desenvolvimento de equipamentos fotográficos digitais e é a maior fabricante de filmes e produtos para revelação de fotos, concorrente direta da Kodak. Quando o assunto é fotografia e equipamentos fotográficos, a Fujifilm é considerada uma das melhores marcas e aquela que possui produtos de melhor qualidade. Conheça um pouco da história dessa grande companhia, aqui no Blog Emania:

A história

No dia 20 de janeiro de 1934 foi fundada, em uma cidadezinha localizada na base do vulcão mais famoso do Japão – o Monte Fuji – a primeira fábrica da Fujifilm. O responsável pela criação da companhia foi Sakae Haruki.

O objetivo inicial da fábrica era produzir filmes cinematográficos. Na época, investir em produtos fotográficos e cinematográficos era arriscado, pois o segmento apenas se iniciava no mercado mundial. No entanto, Haruki não desistiu e persistiu. O primeiro produto fabricado pela Fujifilm foi a película 35 mm para cinema. Depois de apenas um mês com as portas abertas, a fábrica introduziu em seu ritmo de produção filmes fotográficos, papel para impressão, chapas a seco a outros materiais do gênero fotossensível. Em 1936, a empresa inovou novamente, iniciando a produção de películas para Raio-X e outros materiais médicos

Quatro anos depois dos inícios dos trabalhos e já a frente de muitas companhias – posição alcançada em pouco tempo – a Fujifilm abriu uma fábrica em Odawara. Essa fábrica foi destinada apenas ao manuseio de produtos químicos. Lá, os funcionários trabalhavam com os materiais fotossensíveis através do manejo da prata, tintas e outros químicos. Nessa unidade da Fujifilm eram fabricados também os materiais de precisão óptica, como a fibra óptica e equipamentos fotográficos.

A Segunda Guerra Mundial

Ao contrário de outras companhias fotográficas europeias e japonesas, que pararam completamente os trabalhos durante a Segunda Guerra Mundial, a Fujifilm continuou operando, no entanto, em outro segmento.
Durante o período do conflito, as fábricas no Japão se direcionaram na produção de materiais bélicos para abastecerem as tropas japonesas.

Crescimento de produção e financeiro

Com o final da guerra, em 1945, a Fujifilm registrou um crescimento inédito na produção e nas vendas, com a introdução de algumas novidades na produção, como o filme fotográfico colorido e as câmeras fotográficas.

arquivoexibir.4444_2

Fujifilm internacional

A expansão internacional da Fujifilm começou no fim da década de 50, aproximadamente 20 anos após a primeira fábrica ser inaugurada. No Brasil, uma unidade da marca foi aberta em 1958. Já a primeira sede nos Estados Unidos abriu em 1965 no Empire State Building. Por essa unidade, apenas seis funcionários estavam responsáveis.

Na Europa a Fujifilm entrou pela Alemanha, em Hamburgo, no ano de 1966.

Novos produtos

Na década de 1970, a Fujifilm ampliou ainda mais a sua linha de produtos com o lançamento de aparelhos de FAX e fotocopiadoras coloridas. No início da década de 80, mais precisamente em 1982, a empresa começou a fabricar o Fujifilm Memory Tape, que foi o primeiro suporte informático para arquivo de informação produzido no Japão. O destaque da década, no entanto, foi a fabricação da primeira câmera digital da marca, que é considerada por alguns, a primeira câmera digital do mundo.


Com a chegada da década de 1990, a história da Fujifilm foi marcada pelo desenvolvimento de tecnologias como a Advanced Super Thin Layer & High Output Metal Medial (ATOMM) para gravação digital, que possibilitou a fabricação de diversos produtos que necessitasse dela.

Posterior a ATOMM também foi criado o sistema Fuji Computed Radiography (FCR), em 1992, que auxiliava as atividades médicas na área de diagnóstico de Imagem Digital.

Outras tecnologias de responsabilidade de Fujifilm foram o sistema de impressão direta em chapa CTP Plate e o Minilab Digital Frontier: dois sistema que proporcionaram uma revolução digital pelo nível de qualidade, praticidade e velocidade, oferecendo várias opções de impressão de fotos que iam além das tecnologias já existentes. Com essas tecnologias, a Fuji produziu equipamentos de impressão a laser e scanners que garantiam o máximo controla da nitidez das imagens, cores e tonalidades, que davam às impressões uma maior definição e melhores cores.

Anos 2000

As tecnologias lançadas no mercado pela Fujifilm nos anos 2000 foram o SDES (Secure Document Exchange Services), para distribuição de documentos via Internet; e o serviço pioneiro em rede Net Print, que oferecia impressão segura de conteúdos digitais através do uso de fotocopiadoras em lojas de conveniência. Ambos sistemas foram pioneiros e revolucionaram o mercado na área.

Trajetória visual da Fuji

A marca inicial da Fujifilm, lá na década de 1930, remetia-se à localização da primeira fábrica, na base do Monte Fuji, por isso o nome da empresa.

Na década de 80, depois de algumas reformulações da ideia original, a Fuji passou a usar o símbolo que a tornou conhecida, que era a “caixinha de filme fotográfico em perspectiva”.

preview-Fujifilm238

A nova, e atual, identidade visual, criada em 2006, dispensou os formatos da caixa de filme e elementos que lembrassem o setor fotográfico da marca com a justificativa de que a Fuji ampliou tanto o mercado que não podia mais ser lembrada apenas pela fotografia, focando apenas na tipografia e no nome da marca.

fujifilm_logo

Esse novo logotipo que, de acordo com a marca, dá mais credibilidade à Fuji, começou a ser adotada no dia 1º de outubro de 2006.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar Aceito Política de Privacidade