Home»Artigos de Foto e Vídeo»Estruturando o seu Plano de Negócios Fotográficos

Estruturando o seu Plano de Negócios Fotográficos

eMania https://blog.emania.com.br/content/uploads/2015/05/logotipo.png
eMania
7
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

Mais importante do que o contrato final, é o processo com que ele é feito. Não basta ter clareza de onde você quer chegar e qual o objetivo do seu documento: você tem que saber como fazer ele. Os fotógrafos são empresários por natureza, a cada book fechado, é um projeto empresarial realizado. O seu plano de negócios fotográficos deve começar no exato instante em que você pensar em ter um negócio, ser fotógrafo.

Não ter um plano, é como dirigir para um local que você não sabe como chegar, sem um mapa e sem um GPS, bússola, seja lá o que for. Se você quer ir a algum lugar, obviamente você deve primeiro saber como é que se chega lá. E se, por sorte, você conseguir ir até o local, será com um pouco de insegurança, sentindo que está chegando a algum lugar, mas sem uma indicação real do quanto de progresso você já teve. Ter um plano vai fazer o passeio ser muito mais tranquilo, sem estresse ou ansiedade. Você já vai com uma visão de para onde está indo e um método de como é que você pretende chegar lá.

Mas então, vamos lá! Veja a seguir como criar seu plano de negócios fotográficos, sem ser um processo complicado, mas sim muito simples, com apenas quatro passos-chave:

Plano de Negocios fotograficos

1) Visão e missão
Pergunte-se três grandes questões! Qual é o seu sonho? O que você quer alcançar? No que você quer ser o melhor por aqui?

Isso vai ajudar você a identificar o que você quer seu no negócio e enxergar mais além do que está vendo agora. Ao responder as questões para si mesmo, seja o mais específico possível. Já defina o campo em que você vai operar, o nicho em que você vai estar, os tipos de experiências que você deseja entregar em cada ensaio feito e como é que você vai executar cada ação do seu plano de negócios fotográficos.

2) Esteja atento aos passos
Objetivos raramente são atingidos às escuras, você precisa saber quais são os seus passos e por onde está pisando, é importante compreender cada ação sua para chegar ao seu objetivo. Além disso, pré-definir os passos irá ajudar você a acompanhar o seu o progresso ao longo do caminho.

3) O mercado fotográfico
Primeiro você deve identificar quem exatamente você está tentando abordar, qual é o seu público-alvo. E, então, definir como você irá alcançá-los e como apresentará seu negócio como uma atraente e irresistível opção. Isto irá definir sua marca, bem como seus planos de marketing e táticas de execução.

4) Valores e fluxo de caixa
Este é um ponto importantíssimo, em que principalmente os fotógrafos iniciantes mais jovens tropeçam. É necessário mais do que um plano de negócios fotográficos de imediato, é preciso um plano de vida.

Comece fazendo um balanceamento de fluxo de caixa. Estime suas despesas anuais, de quanto você precisa para viver tranquilamente e pagar todas as suas contas. Depois disso, você poderá traçar de quanto você precisa exatamente, para suprir as dívidas e ter um orçamento extra. Ah! E quando se fala em contas, considere também os impostos e demais encargos, além das despesas rotineiras.

Aí, você pode traçar planos ou até mesmo combos, considerando já o valor que você precisa, sem pesar muito no bolso do cliente. Seja bem justo e honesto, isso também lhe trará um ótimo retorno. Quando precisar aumentar o orçamento por causa de algum reajuste, explique ao cliente os motivos e detalhe-os, assim você também terá um público fidelizado e confiança no seu trabalho.

Profissão fotógrafo
Plano de Negocios fotograficos
Descobrir como formar o seu negócio é uma consideração muito importante para os aspirantes e fotógrafos profissionais. Para abrir oficialmente a sua empresa de fotografia, você precisa de, além de outros fatores, observar dois pontos que costumam ser bem incisivos nessa hora: os benefícios fiscais e a exposição de responsabilidade.

Benefícios fiscais
Quando se trata de criar uma entidade empresarial, os fotógrafos com baixa renda não recebem benefícios fiscais através da incorporação. A sugestão é que os fotógrafos considerem inicialmente um profissional independente, que normalmente não requer papelada ou taxas. À medida que sua renda cresce, você pode encarar as papeladas burocráticas.

Responsabilidade
Uma segunda preocupação é a responsabilidade. Se você é um profissional independente, você é o único responsável pelo seu negócio, Isso pode parecer maravilhoso, mas também é perigoso se você não tiver responsabilidade. Por isso, a dica de ouro é: seja extremamente responsável, principalmente com os prazos. Para isso, planeje e tenha sempre uma tabela de gerenciamento dos próprios compromissos.

Agora que você já sabe como estruturar o seu plano de negócios fotográficos, acompanhe o nosso blog e fique por dentro de todas as dicas para expandir o seu negócio, melhorar as suas técnicas e tirar fotos cada vez mais incríveis.

Post anterior

Dolly Hercules: um dolly que cabe no bolso

Próximo post

Leica lança a Leica M-D, uma câmera compacta sem visor LCD

O Autor

Sinapses Comunica

Sinapses Comunica

Conexões inteligentes entre você e seu público!