Home»Artigos de Foto e Video»Fonte de luz colorida, cor do objeto e reconhecimento da cor através do olho humano

Fonte de luz colorida, cor do objeto e reconhecimento da cor através do olho humano

3
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

 No artigo passado, nós falamos sobre as células Cones e sobre as Bastonetes e como elas são responsáveis pelo envio de informações no processamento ocular das cores.

Precisa ser compreendido a respeito de que de acordo com a variação das ondas , a percepção das cores pode mudar. Nesse sentido entra aí a fonte de direta, a fonte indireta e a fonte colorida.

Fonte de luz direta

Essa é proveniente daquele tipo de luz que atinge o olho diretamente por meio de uma fonte.

Fonte de luz indireta

Já esse tipo de luz, é percebida de acordo com a reflexão que vem através dos objetos ou é refletida a partir de uma superfície dada pelos objetos e que atinge o olho.

Fonte de luz colorida

Essa fonte de luz se relaciona tanto com a aplicabilidade da luz, quanto da cor, ou seja, se dá por meio de uma fonte de luz e de acordo com a cor do objeto. Então, como acontece esse processo na percepção do olho humano?
Fonte de luz colorida e temperatura da cor

A cor transparente é vista porque entre as cores do objeto, a luz passa por eles. Já a cor de superfície, a luz é refletida a partir da superfície dos objetos.

Na maioria dos casos, os fotógrafos, amantes de fotos e alguns novos estúdios de fotografia ainda não têm total entendimento sobre a variação dessa luminosidade. Mas para que a foto fique bonita e com tonalidade e luminosidade equilibradas, é preciso também entender esses efeitos.

As fontes de luzes coloridas são reproduzidas a partir de uma estimulação com relação a todos os comprimentos das ondas contidas nas fontes de luzes.

Três cores primárias de luz
temperatura da cor

A luz que nós costumamos ver é composta por outras luzes de comprimentos que se diferenciam. E a cor da luz vai mudar, de acordo com o grau da mistura.

Quando há um ajuste a intensidade e o grau da mistura das cores primárias: vermelho, verde e azul, é possível gerar diversas cores de luzes que nós conseguimos reconhecer. Então, quando essas 3 cores possuem equilíbrio, a tonalidade branca surge.

Este é um método chamado de “mistura de cores aditivas”. O método consiste justamente no ajuste das cores pela adição de luzes. Esse princípio é utilizado em diversos dispositivos que são capazes de emitir luz, como os monitores, projetores e TVS.

Três cores primárias de cor
temperatura da cor

As 3 cores primárias para luzes correspondem de forma essencial às cores de uma fonte de luz.

  • A cor ciano (azul) não reflete o vermelho, mas o absorve.
  • A cor magenta não reflete verde, mas a absorve.
  • A cor amarela não reflete azul, mas a absorve.

Por isso cada cor pode ser gerada através da mistura dessas 3 cores primárias, resultando em cores diferentes.

Se essas 3 cores primárias forem misturadas em uma folha de papel branco, o resultado será a cor preta. Sendo assim, elas não refletiram, mas sim absorveram. Esse método para geração de novas cores é chamado de “mistura de cores subtrativas”.

Nesse caso as cores são ajustadas por subtrações de luzes que correspondem a ciano (C), magenta (M) e amarelo (Y).

Fonte colorida de luz

A fonte colorida de luz trata-se de uma luz que atinge diretamente o olho a partir das fontes luminosas dispostas.

Temperatura da cor

A temperatura da cor representa o tom de cor da fonte de luz, mostrando a temperatura de um corpo que é imaginário perfeitamente preto, e é indicada em Kelvin (K).

Um corpo que é perfeitamente preto tem a característica de absorver toda a luz emitida, em todos os comprimentos de onda que existe, sem refletir a luz ou sem a deixar passar.

A cor da superfície do corpo perfeitamente preto tem uma temperatura de zero absoluto e se modifica quando é aquecido. A temperatura da cor de cada fonte de luz, indica aproximadamente a cor da superfície do corpo.

A temperatura da cor expressa justamente a aparência da cor da luz que é emitida por uma fonte de luz. Essa definição se baseia na relação entre a temperatura de um objeto hipotético ou material, conhecido assim como o corpo o corpo negro radiador ou corpo perfeitamente preto, e sobre a distribuição da energia que é emitida, a medida em que a temperatura desse corpo negro ou perfeitamente preto é elevada a partir do zero absoluto.

Diferenças das tonalidades das cores

Exemplo disso acontece quando se fotografa sobre uma lâmpada incandescente, os elementos vermelhos dos resultados de disparo parecem mais fortes do que nas fotos realizadas sobre luzes fluorescentes com cor fluorescente luz do dia.

Se você observar, o aquecimento de uma peça de ferro que é colocada no fogo, verá que essa mesma peça se comporta de formas diferentes de acordo com a temperatura. Isso é baseado na lei de Planck, ou seja, quanto mais a temperatura aumenta, maior diferenciação existe na coloração do objeto, o mesmo acontece com as fotos.

Na temperatura do ambiente existe a cor escura, e essa cor pode ser tonar mais avermelhada, amarelada ou até de uma cor branco azulado, ou seja, essa cor será cada vez mais clara, à medida que a temperatura aumenta, até que atinja o ponto de fusão.
temperatura da cor

Essa observação demonstra que existe um pico espectral que é deslocado segundo os comprimentos das ondas mais curtas, resultando assim em um branco mais azulado.

Chamamos de cores mais quentes, aquelas que são mais amareladas, relacionando-a ao calor do sol, proveniente da zona tropical, e chamamos de cores frias as cores ligadas as tonalidades mais azuladas, relacionando-a ao frio do gelo dos polos árticos da terra. Quanto mais quente for a temperatura em Kelvin, mais azulada será essa cor, e quanto mais fria ela for, mais amarelada será.

Concluindo que de acordo com o posicionamento que você coloca a sua câmera fotográfica Canon, e de acordo com as luzes que você utiliza, sejam elas fluorescentes ou incandescentes, haverá um determinado balanço de cores, diante as temperaturas produzidas por essa luminosidade.

 

Comentários

comentários

Post anterior

Palestra sobre Leis de Incentivo com Steevens Beringhs

Próximo post

Coisas que não te disseram sobre a luz natural