Saiba como o fotômetro influencia na sua fotografia

0 54
Tempo de leitura: 4 minutos

As câmeras fotográficas são capazes de medir a luz de um ambiente para ajustar os componentes de exposição e abertura nos modos automáticos e semiautomáticos. O componente do equipamento responsável por essa medicação é o fotômetro, que pode ser encontrado em todas as câmeras que possuem modo automático.
Para isso, o fotômetro faz uma leitura rápida do ambiente a ser fotografado e indica para o fotógrafo quais as mudanças de ajustes manuais que ele deve fazer, ou as fazem automaticamente no modo automático. No entanto, devido à iluminação do ambiente, muitas vezes, ser ambígua, o fotômetro pode falhar.
Para entender melhor como o fotômetro funciona, é preciso antes conhecer os diferentes tipos de medição proporcionados por ele.

Métodos-Fotometria

Medição geral

Essa medição é a mesma feita pela maioria câmeras digitais. Essa ação é chamada de medição matricial, ou medição evaluativa. Mesmo tento nomes diferentes, o funcionamento é o mesmo: o ambiente é lido pelo fotômetro que avalia todas as variações de iluminação, como escuridão e claridade, para depois fazer os ajustes automáticos levando esses valores em consideração.
Mas como foi citado anteriormente, esse sistema não é perfeito já que o fotômetro não consegue ler o objeto que será destacado pelo fotógrafo, por exemplo. Sendo assim, o equipamento pode ajustar uma exposição que possa desvalorizar o que você desejar mostrar.
Um exemplo é quando o objeto principal, considerado pelo fotógrafo, está posicionado em um ambiente onde o fundo é mais iluminado. O elemento principal, provavelmente, vai ficar com pouca exposição de luz porque o fotômetro vai tomar como base dois espaços com iluminação contrastante.
Por isso que a medição feita pelo fotômetro funciona melhor em ambientes com a iluminação balanceada, sem extremos de luz tanto para mais, quanto para menos. Dessa forma, as chances do equipamento acertar o cálculo das medidas e valores de exposição e abertura são maiores no ajuste automático, ou manual.

Medição pontual

Ao contrário da medição geral, que é feita a partir da média de todo o ambiente, a medição pontual usa uma área bem menos para se guiar. Ou seja, ela leva em consideração apenas um ponto do ambiente a ser fotografado.
Essa opção é perfeita para fotografar em situações extremas de iluminação, diferente da primeira opção, com pontos muito iluminados e outros muito escuros porque, com a medição pontual, é possível indicar para a câmera qual parte do ambiente será medida pelo fotômetro criando, assim, o ajuste de exposição e abertura perfeito para esse determinado ponto.
Apesar das vantagens, a medição pontual é menos usada que a geral por ser mais limitada. Mas vale lembrar que essa configuração existe e que pode ser mais adequada para determinados casos.
Para saber qual parte da imagem está sendo medido pelo fotômetro, basta apertar o disparador de foto sem que chegue ao final e, na tela, o marcador vai piscar rapidamente no local que está sendo analisado. Algumas câmeras com função manual permitem que o fotógrafo escolha o ponto exato de medição. Nas que não permitem isso, há uma maneira de fazê-lo: aponte o marcador que está fazendo a medição no ponto que você deseja medir, aperte o disparador novamente até a metade para que o fotômetro faça os ajustes e, em seguida, sem soltar o disparador, é só enquadrar a cena da maneira que quiser. Praticamente o mesmo movimento feito para focar determinada região da imagem.

Medição central

A medição central não é tão ampla quanto à geral e também não é tão limitada quanto à pontual. Esse tipo de ajuste mede a parte central da cena, onde geralmente ficam os elementos principais de uma imagem.
A medição central pode ser utilizada em casos que não sejam tão extremos, porém, necessitem de um destaque a mais em uma determinada região, que é a central.
Há outras medições diferentes, mas essas três são as mais encontradas nas câmeras fotográficas populares. É importante sempre ler o manual do seu equipamento antes de utilizá-lo para saber o que ele te oferece.

fotometria-660x171-600x155

Como compensar exposição?

A compensação de exposição pode auxiliar o fotógrafo a indicar ao fotômetro como enxergar o ambiente a ser fotografado. Em locais com condições de iluminação que tornam a medição do fotômetro difícil, por exemplo, quando o fundo tem uma iluminação muito mais intensa que o elemento principal da fotografia, o fotógrafo pode usar a compensação para dizer ao fotômetro que ele precisa deixar a imagem mais clara do que ele consideraria correto sem essa indicação.
É muito difícil para a câmera fazer essa compensação como o olho humano faz automaticamente. A compensação de exposição, portanto, vai fazer com que o fotômetro ignore, ou a parte muito clara, ou a parte mais escura do ambiente.

Foto: Lomogracinha
Foto: Lomogracinha

Para fazer essa compensação é preciso avaliar alguns aspectos do ambiente a ser fotografado: se o que for fotografado está frente de um fundo com iluminação muito forte, o fotógrafo vai ter de decidir se quer que o fundo fique na iluminação ideal e o elemento principal fique escuro, ou se o que está na frente é o que vai ser destacado. Na última opção, o fundo fica, geralmente, com o branco estourado.
Faça a medição com o fotômetro sem alterar a compensação, para privilegiar o fundo claro. Use a compensação nos números positivos para clarear todo o ambiente e destacar o que está na frente. Ao fazer isso, é preciso se atentar também ao contraste da foto, que pode deixar partes escuras esbranquiçadas.
A compensação de exposição é uma ótima pedida para quando você perceber que o fotômetro está com dificuldades de medir automaticamente os melhores valores de abertura para determinado ambiente.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar Aceito Política de Privacidade