Home»Artigos de Foto e Vídeo»5 Trilhões de fotos por segundo: conheça a Câmera mais rápida do mundo!

5 Trilhões de fotos por segundo: conheça a Câmera mais rápida do mundo!

6
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

A alta velocidade de disparo é uma ferramenta importante para a fotografia. Com a velocidade de captura é possível definir melhor o foco e campo, permitindo capturar imagens profissionais sem trepidações, como é o caso de fotografia de esportes e fotografia da natureza. No entanto, pesquisadores da Lund University foram além e apresentaram a Câmera mais rápida do mundo, equivalente a cinco trilhões de quadros por segundo, sendo mais do que suficiente para visualizar o movimento da luz.

A câmera permite capturar arquivos de acontecimentos que ocorrem em até 0,2 trilionésimos de segundo, e possam ser documentados com finalidade de estudo. Como exemplo, os pesquisadores utilizaram a Câmera mais rápida do mundo para filmar um grupo de fótons viajando a 990 milhões de quilômetros por hora em um espaço equivalente à largura de uma folha de papel, como mostra o vídeo disponibilizado abaixo:

A tecnologia utilizada na Câmera mais rápida do mundo é totalmente diferente da utilizadas em câmeras dslr ou Câmeras digitais em geral, essa câmera utiliza um sensor que não leva um segundo completo para registar os quadros, cada captura dura em torno de 1 picossegundo – cerca de um trilhão de vezes o tempo de dizer “um segundo”.

Outro truque da Câmera mais rápida do mundo é a tecnologia de separação de frames. Cada quadro possui quatro imagens separadas, obtidas através de luzes de laser sobre o objeto, as imagens separadas criam um código que permite a visualização da imagem completa quando unificadas através de uma chave de criptografia.

Segundo os pesquisadores Elias Kristensson e Andreas batizaram a Câmera mais rápida do mundo de FRAME ou Frequency Recognition Algorithm for Multiple Exposures (Algoritmo de Reconhecimento de Frequência por Múltiplas Exposições, em tradução livre), e informam que ao maximizar cada frame eles conseguiram não somente gravações mais longas como mais riqueza de detalhes em cada uma delas.

Diferente das finalidades das câmeras comuns, os pesquisadores buscam estudar fenômenos de combustão para aprimorar motores a gás e revelar a complexidade de reações químicas em nível molecular, mas essa nova tecnologia pode também trazer avanços aos sensores das câmeras e filmadoras profissionais, além de serviços de telecomunicações. De acordo com os pesquisadores essa nova tecnologia já está sendo estuda e aprimorada por uma empresa alemã e em alguns anos já será possível comercializar produtos a partir dessa tecnologia.

Post anterior

OS MELHORES FILMES SOBRE FOTOGRAFIA: SOB FOGO CERRADO

Próximo post

As 8 Fotografias mais Caras do Mundo (2017)