Home»Artigos de Foto e Vídeo»Curiosidades sobre a série 1 da Canon

Curiosidades sobre a série 1 da Canon

eMania
3
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

O lançamento da câmera fotográfica Canon EOS 1, um dos principais produtos já fabricados pela marca, completou 25 anos no ano passado. Considerada artigo de alta tecnologia, com funções avançadas e marco na história da produção de câmeras fotográficas na época, a EOS 1 fez e continua fazendo parte da vida e do trabalho de vários fotógrafos profissionais e amadores desde os anos 1990.
O aniversário de lançamento da câmera é comemorado em junho. E em homenagem aos 26 anos da EOS 1, o Blog eMania vai expor algumas curiosidades e detalhes sobre a série 1 de câmeras da Canon, uma das preferidas dos fotógrafos do mundo todo.

A EOS 1 é a quinta câmera SLR profissional da Canon

Apesar de ser da série 1 das SLR da Canon e de muita gente pensar que ele foi pioneira no segmento, a EOS 1 foi a quinta câmera do gênero lançada pela marca. As que antecederam a EOS 1 foram a F-1, lançada em 1971; a F-1n, de 1976; a New F-1, de 1981 e a T90, lançada em 1986.
A EOS 1 ainda não foi a primeira câmeras SLR profissional eletrônica da Canon, sendo que esta é o modelo T90. No entanto, ela foi pioneira em diversos aspectos, como no autofoco e selagem. A selagem, no entanto, foi considerada precária até na época, já que é suficiente apenas para aguentar garoas finas.

SONY DSC

A primeira câmera digital da Canon foi baseada na estrutura da EOS1

O lançamento da primeira DSLR da Canon foi no ano de 1995. Ela foi batizada de EOS DCS 3. E estrutura da nova DSLR, na verdade, era uma EOS 1 sobre um back digital da Kodak de 1.3 megapixels.
O surgimento das DSLRs da Canon foi essencial no mundo da fotografia profissional, já que ela passou a ser usada por fotógrafos do mundo inteiro com a intenção de otimizar o fluxo de trabalho.
No entanto, por ser uma câmera muito grande e pesada, ela foi usada principalmente por profissionais de estúdio, já que para a fotografia de paisagem, esporte e jornalismo, em que é necessário o movimento constante, a EOS DCS 3 ficou inviável.

Teste em outros modelos antes de inserir na série 1 da Canon

O teste em modelos inferiores para atingir um melhor resultado nas sucessoras das câmeras top de linha é um método de alcance de qualidade feito pela Canon até hoje nas DSLRs.
No caso da EOS 1, que era o carro chefe da linha em que estava inserida, os testes para melhorar e aperfeiçoar elementos para a sucessora eram feitos através da aplicação de novas tecnologias em modelos inferiores e destinado ao público amador.
Foi assim que a EOS 1n, uma das sucessoras da EOS 1, foi lançada em 1994 com o sistema de cinco pontos de autofoco. A tecnologia da nova câmera foi montada a partir da EOS 5, lançada em 1992. Com a EOS 1v, de 2001, a Canon fez a mesma coisa com o sistema de 45 pontos de autofoco, montado a partir da EOS 3, lançada em 1998.

O primeiro adaptador FD para a EOS era da Canon

Com o lançamento do sistema EOS, a Canon precisava criar uma estratégia para garantir que os clientes fizessem a mudança de sistema tranquilamente. Para isso, a companhia disponibilizou no mercado um adaptador oficial para converter as lentes objetivas da série L em lentes mount EF da série 1.
Esses adaptadores, no entanto, eram compatíveis apenas com as lentes teleobjetivas da Canon para, segundo a marca, “garantir o máximo de qualidade possível”. Essa era uma estratégia para que os fotógrafos comprassem também as lentes.
Com o lançamento da EOS 1, que possuía autofoco preciso e automático, o adaptador não era mais necessário e parou de ser produzido. Os fotógrafos então preferiram trocar as EOS pelas EOS 1.

Migração de câmeras Canon analógicas para as digitais foi feita depois de 2006

De acordo com pesquisas de mercado feitas pela própria Canon, grande parte dos fotojornalistas que utilizam a Canon migrou para a fotografia digital depois de 2006, apesar de as DSLRs já estarem disponíveis para venda há alguns anos.
Antes disso, a câmera mais vendida da Canon era a EOS 1v, que auxiliava trabalhos de fotojornalismo, fotografia de esportes e natureza devido ao autofoco rápido e uma alta velocidade de disparo de imagem.
Por causa dessa preferência e pela EOS 1v ter ficado tanto tempo na liderança, a Canon ainda mantém o serviço de suporte aos donos dessa câmera, além de serviços de manutenção destinados a profissionais.

oioioi

EOS 1v: a SLR profissional produzida por mais tempo pela Canon

De todas as SLRs profissionais produzidas pela Canon, a EOS 1v é a que ficou mais tempo em produção, sendo fabricada de 2001 a 2013. As outras SLRs da marca, desde a F-1, que começou a ser fabricada em 1971, foram produzidas por cinco anos aproximadamente.
A Canon nunca anunciou, oficialmente, o motivo pelo qual essa câmera parou de ser produzida há dois anos. Como citado anteriormente, especula-se que tenha sido por causa da queda de venda a partir de 2006, quando os fotógrafos migraram para as câmeras digitais.
Apesar de terem parado de fabricar, a Canon ainda tem disponíveis algumas EOS 1v novas à venda por todo o mundo, em diversos revendedores. Elas chegam a custar em torno de US$ 1500.

Post anterior

Três dicas para fazer documentários de alta qualidade.

Próximo post

Projeto para financiar bolsa para câmeras é lançado online