Home»Artigos de Foto e Vídeo»[Entrevista] Louis Hequeva e os áureos photoalbums

[Entrevista] Louis Hequeva e os áureos photoalbums

eMania https://blog.emania.com.br/content/uploads/2015/05/logotipo.png
eMania
14
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

Nascido e ainda vivendo em Feira de Santana, na Bahia, Louis Hequeva é um fotógrafo de apenas 15 anos que vem ganhando destaque pelo seu formato de trabalho, idealizado pelo mesmo: os photoalbums. O artista já possui 15 photoalbums, entre eles o marcante e pessoal ‘Marionette’.

Os photoalbums são uma espécie de fotografias em uma única coleção, com certo conceito e tal valorização. “Muitos fotógrafos lançam fotografias em galerias sem pensar, e quando o tempo passa, a fotografia fica invisível”, disse Hequeva quando perguntado sobre de onde partiu essa ideia no primeiro semestre do ano de 2016. Inegavelmente é um formato muito instigante, traz certa interatividade e conexão com o público, além de ultravalorizar as fotografias contidas.

Louis Hequeva e os aureos photoalbums

Em entrevista exclusiva a este artigo, Josiane Silko, carioca de 25 anos, entrevistou Louis Hequeva abordando alguns temas sobre sua carreira e seu próximo material.

Quando você se sentiu um artista pela primeira vez?

Bem, eu realmente não tenho tantas recordações concretas sobre isso, mas, desde pequenino amei arte, sempre ficava maravilhado com conteúdos que via.

Quando você percebeu que suas fotografias eram arte? E por quê decidiu expô-las online?

Percebi em 2013, quando eu estava começando a me descobrir na fotografia, e ainda tinha um equipamento super amador. Então, comecei a expor online sem dar-me conta do que estava fazendo, não tinha tanta maturidade como tenho hoje, afinal estou numa fase na qual a cada ano é uma tremenda evolução de personalidade. Comecei publicando nas redes sociais, mas nada tão sério quanto hoje.

Qual photoalbum foi mais difícil capturar o que você tinha a dizer?

Posso dizer concretamente que foi o Marionette, eu consegui transmitir muito bem a minha mensagem nos textos, mas as capturas foi super árduo, foi difícil conciliar tudo com o conceito que eu tinha em mente. Foi um projeto longo, em todos os termos, quase 1 ano de espera, 5 cidades envolvidas na produção, foi realmente complicado para mim, um adolescente, capturar o que queria, onde planejava. Graças a Deus, com muito esforço, consegui produzir um photoalbum incrível.

O photoalbum Marionette revelou muito sobre você. Você se arrepende dessa exposição?

Algumas vezes isso passa em minha mente, da intensidade do quanto eu expus a mim mesmo, mas é algo que não está tão explícito, para compreender todo o photoalbum exige uma certa análise. Na certa, eu não me arrependo disto.

Então podemos esperar mais exposição no próximo photoalbum? O que você pode revelar sobre ele?

Olha, nesse próximo photoalbum eu não pretendo trazer tanto do passado, e sim do meu presente e do meu futuro, como uma mistura dos dois. Tanto que estou chamando-o de ‘Fado’, que significa “destino”, e é uma palavra da língua portuguesa mesmo, além de que pretendo trazer toda essa era em português, totalmente voltada ao Brasil. É, acho que esse será o nome. Estou me esforçando o máximo para trazer-vos outro grande álbum, talvez até maior.

O último photoalbum lançado por Louis Hequeva foi o intitulado ‘Shattered Sadness’, porém o mesmo lançou duas single photos (outro formato idealizado por Louis) este ano, chamadas ‘Not Ma Punkland’ e ‘Save Em’, sendo que, respectivamente, a primeira está concorrendo em um concurso vigiado pela Confederação Espanhola de Fotografia.

Louis Hequeva e os aureos photoalbums
Not Ma Punkland. Louis Hequeva ©.

O próximo photoalbum de Louis Hequeva está previsto para estrear ainda este ano, ou no primeiro semestre do que está por vir.

Visite o site de Louis Hequeva.

Comente

Post anterior

A câmera digital mais poderosa do mundo é anunciada !

Próximo post

Arremessando sua GoPro, esquiador captura vídeos incríveis e ganha sucesso

O Autor

Loez Tide

Loez Tide

Atualmente moro na Bahia e tenho 15 anos e exerço atividades como redator e escritor.
Fui fotógrafo de 2013 a julho de 2017 e dei uma pausa para me preparar melhor para quando maior e mais independente de fatores externos.