Home»Equipamentos de Foto e Vídeo»Tutorial: use seu carro como dolly track!

Tutorial: use seu carro como dolly track!

eMania
2
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

Esqueça as velhas técnicas de usar dolly tracks caríssimos ou gimbals de mão para fazer belas imagens com movimentos de câmera de filmagem. Você tem um carro, né? Use-o!

Tá certo que usar carros como uma forma de obter esses tipos de imagens – como se fossem dolly tracks – é uma espécie de técnica da velha escola indie que cineastas têm usado por muito tempo, especialmente antes do surgimento dos gimbals de mão com 3 eixos. (Na verdade, você pode obter algumas imagens surpreendentes usando um carro e um gimbal ao mesmo tempos). Mas apesar de esses gimbals serem cada vez mais onipresente (embora ainda bem caros), parece que agora é um momento tão bom quanto qualquer outro para lembrar de uma ferramenta cinematográfica que você poderia ter esquecido – ou talvez você nunca conhecesse!

Então, se você possui um carro, ou pelo menos conhece alguém que vai emprestar-lhe o deles por uma questão de cinema, você pode usá-lo para capturar ângulos altos, efeitos especiais criativos e (é claro) imagens de dolly track. Esse vídeo da Vimeo Vídeo School oferece algumas dicas sobre como abordar essas técnicas usando seu carro.

Enquanto você certamente sabe que será difícil para caber um carro em uma filmagem interna, se acontecer de você filmar ao ar livre, um carro pode ser uma forma suave de acompanhar, tal qual num dolly track, os seus atores. Os carros podem servir de grande ajuda para rastreamento ou dolly. Além disso, se você está diminuindo as filmagens em 4K para HD, você pode estabilizar seus clipes do “carro dolly ” para obter imagens ultra suaves.

Tutorial sobre o seu carro dolly: indie filmmaking!  

car_dolly

Este vídeo escolhido pela equipe do Vimeo mostra-nos algumas das possibilidades criativas do uso de um carro em uma produção. No vídeo, os anfitriões delinear algumas outras formas que você pode usar um carro para cinema além de simplesmente rastreamento e dolly. Mais uma vez, este é um truque muito antigo, mas é importante lembrar que, não, nem todos podem pagar um gimbal ou dolly para fazer filmagens de acompanhamento e, não, nem todo mundo tem tempo para comprar, configurar e montar uma dolly track barato de DIY.

Usar algo que você provavelmente terá acesso, isto é, um carro, é uma decisão quase natural para a maioria dos cineastas que não tem orçamento – especialmente aqueles que estão apenas começando e, literalmente, só tem uma câmera, um tripé para filmagem (talvez), e um sonho.

Agora que temos a habilitação em nossas mãos, aqui estão algumas coisas que você pode querer manter em mente quando você decidir usar seu carro como um dolly track.

Seu carro não é nenhum estabilizador de filmagem

Lembre-se, embora seu carro possa absorver parte do impacto da condução sobre quebra molas e buracos na estrada, a câmera ainda vai ser um pouco instável (especialmente se você estiver com algum tipo de zoom), então você vai querer encontrar algo para estabilizar a sua filmagem. Um saco de arroz, um tripé, ou até mesmo uma camisola pode ajudar de maneiras bem surpreendentes.

Seu áudio provavelmente será horrível

Como o vídeo diz, o seu “dolly” tem um motor rugindo alto, por isso áudio gravado em qualquer lugar perto dele simplesmente não vai ser utilizável. No entanto, existem algumas opções que você pode fazer:

Grave ADR (sigla para Gravação de Diálogo Adicional, em inglês. Ou seja, coloque na pós-produção)

Use um boom

Coloque seu carro em ponto morto, desligue o motor e empurre a sua lata velha

Não seja um idiota. ESTEJA A SALVO!

Eu sinto que eu não deveria ter que dizer isso, mas – eu tenho que dizer isto! Por favor, use o bom senso ao operar um veículo a motor durante as filmagens. Arte é incrível e fazê-la é super duper, mas maldição – a vida e viver são também todas essas coisas. Mantenha o seu elenco, equipe, você e todos ao seu redor seguros.

 

dolly

Post anterior

Equipamentos Fotográficos para Fotos de Paisagem Incríveis

Próximo post

Conheça o efeito Tilt-Shift