Home»Dicas de Fotografia»Dicas de fotografias noturnas de paisagens

Dicas de fotografias noturnas de paisagens

eMania https://blog.emania.com.br/content/uploads/2015/05/logotipo.png
eMania
11
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

As fotografias noturnas, se bem tiradas e com todas as técnicas colocadas em prática, podem ficar incríveis. As de paisagens e elementos da natureza podem, inclusive, gerar resultados que o ser humano não consegue ver sem a fotografia. As imagens noturnas podem mostrar o movimento das estrelas, congelar relâmpagos e tornar a noite clara como o dia.
Para ter controle dessas imagens e conseguir resultados inesperados, no entanto, é preciso conhecimento de câmera e muita técnica. Por isso, o Blog Emania vai te dar algumas dicas de como fazer fotografias noturnas da natureza.

Modo manual

A fotografia noturna exige que o modo manual seja usado em qualquer situação. Isso porque para ter o resultado desejado, o fotógrafo precisará ajustar o balanço do branco, fazer correções no ISO, diafragma, obturador… Caso contrário a foto sairá muito escura.
O modo manual deve se estender ao foco também, já que o foco automático costuma não funcionar nas imagens noturnas.
A recomendação é que as fotos sejam salvas na própria câmera em extensão RAW, que é a que guarda mais informações nas imagens, possibilitando a maior captura de detalhes e uma maior facilidade na hora da edição.

Longa exposição

Para que as principais características de uma foto noturna sejam atingidas é preciso utilizar velocidades baixas de obturador e longas exposições. Isso porque quanto maior exposição, maior é a quantidade de luz que vai entrar pelo sensor da câmera e mais clara a foto vai ficar. Para registrar imagens noturnas, essa luz precisa ser capturada, ou a foto sairá muito escura.
Se você usa câmera digital, faça experimentos com velocidades diferentes até encontrar a velocidade e a abertura necessária para registrar uma foto específica.
Os especialistas em fotografia recomendam, no entanto, que fotos com mais de 30 segundos de exposição sejam evitadas. A partir desse tempo, a imagem pode adquirir muitos ruídos e as chances de estragar a qualidade dela são maiores.

Obturador, Diafragma e ISO

O obturador deve estar bem fechado na hora de fazer uma foto noturna de qualidade, ou seja, usa o maior “f” possível em sua câmera. Com o obturador mais fechado, o campo de foco e a nitidez ficam melhores e em uma imagem tirada em um ambiente com pouca luz, isso é essencial.
Siga a mesma recomendação com o ISO, deixando-o com valores baixos.
Vale lembrar que essas são apenas recomendações, não necessariamente regras. Para encontrar as melhores condições de imagem, experimente as possibilidades que sua câmera te dá.

Balanço de branco

O balanço do branco vai depender das luzes artificiais presentes no local, ou do estágio da lua, já que no começo da noite a luz do astro é mais quente do que quando está mais alto.
Para saber o número certo do balanço do branco, vale a pena experimentar e verificar as tonalidades da foto. A recomendação é que os valores fiquem entre 3500 e 5000 kelvin.

Lentes angulares

As lentes angulares proporcionam um maior campo de visão da lente, em fotos de paisagem isso é interessante, pois mais elementos do ambiente são capturados.
Para iniciantes, a recomendação é uma lente 18-55mm.

night-sky-milky-way

Objetos em primeiro plano

Para uma composição de imagem mais harmônica, a dica é dar destaque aos elementos que estão em primeiro plano. Esses objetos mais próximos à lente aumentam a profundidade da foto noturna de paisagem.
Leve em consideração uma composição de objetos em destaque no primeiro plano – elementos da paisagem em segundo plano – céu e horizonte ao fundo.

Nunca dispense o uso do tripé

O tripé é peça fundamental na hora de fotografar paisagens noturnas. Sem a estabilidade que este equipamento dá, a foto sairá borrada por causa da longa exposição. Se você não tiver tripé, tente apoiar a câmera no chão, ou em algum objeto que a sustente. No entanto, é o tripé que vai te dar liberdade de enquadramento.

Estude e inove

Uma foto noturna, como aquelas que registram o movimento das estrelas, por exemplo, requer um pouco de tempo de exposição. Para isso, e essa dica também vale para outros tipos de fotografias noturnas, é interessante que o fotógrafo chegue antes de escurecer o dia para estudar detalhes da cena que será registrada.
Com a luz do dia fica mais fácil escolher enquadramentos, objetos de foco e formular a ideia da imagem final. Fotos noturnas de horizontes têm de monte. Inove nos enquadramentos! Fotos de paisagem e natureza são corriqueiras e sem criatividade podem ficar sem graça. Explore as estrelas, os vagalumes, a lua…

Crie efeitos

Por que não adicionar efeitos? Inove com a lanterna e com elementos humanos em meio à paisagem. A técnica do lightpainting, ou “pintando com a luz” é muito interessante nas fotografias noturnas, já que a luz artificial, com uma câmera com longa exposição, pode formar imagens fixas e artísticas.
Para isso, você pode usar flashes, painéis de led e lanternas comuns. É preciso harmonizar a exposição da luz com a luz natural do ambiente, ou seja, quanto mais a luz artificial fica ligada, mas clara fica a foto. Para criar desenhos, ou mensagens com o facho de luz, por exemplo, é preciso testar e estudar a intensidade, o movimento e a duração que você vai deixar a lanterna – ou outro objeto luminoso – ligada.

 

lightwriting6

Outras dicas importantes

É interessante também posicionar a câmera ainda com a luz solar para que na hora de dispará-la para registrar a imagem noturna, já esteja tudo certo.
Dependendo do lugar, é interessante também tomar medidas de segurança, já que o ambiente estará escuro e o fotógrafo pode ficar suscetível a riscos. Por isso, vá ao cenário acompanhado, com lanternas e preste atenção no chão, ainda mais se for em ambientes afastados e com mato. Você não vai querer que nenhuma cobra, ou aranha te surpreenda.
Leve também agasalhos, calçados, repelente e água. Fotos de natureza pedem todos esses cuidados.

Post anterior

OS PRINCÍPIOS DA LUZ NA FOTOGRAFIA E NO CINEMA - A TEMPERATURA DA COR

Próximo post

Fuji X-T1 IR deixa você fazer vídeos e fotos em infravermelho

O Autor

Mariana Paschoal

Mariana Paschoal

Jornalista formada pela Universidade Estadual de Londrina, tem experiências em diversas áreas da comunicação, como radiojornalismo, webjornalismo, assessoria de imprensa e fotojornalismo.