Home»Artigos de Foto e Vídeo»Os princípios da Luz na Fotografia e no Cinema – Luz e Cor

Os princípios da Luz na Fotografia e no Cinema – Luz e Cor

eMania https://blog.emania.com.br/content/uploads/2015/05/logotipo.png
eMania
14
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

Depois da série sobre monitoração(Monitoração Viewfinder, Monitoração – Monitores e com Monitores de vídeo) , hoje eu vou iniciar uma nova série mais técnica que vai auxiliar muito os filmmakers na área da direção de fotografia e cinema, com uma introdução a cinematografia digital. Vai ser uma série de posts sobre luz, cor, temperatura de cor, teoria das zonas na escala de cinza, latitude e como usar as charts de cinza e a de cor.

Os primeiros tópicos que eu vou apresentar relativos à iluminação na Fotografia e Cinema são sobre a luz e a cor, então vamos lá!

Fotografia e cinema - a luz

A Luz

A Luz

Como as ondas de rádio e de raio-x, a luz visível é uma forma de radiação eletromagnética. Embora os comprimentos de ondas variem desde mais de uma milha (no caso de algumas ondas de rádio) até um milionésimo de milímetro (no caso do raio-x). Olho humano é sensível apenas a uma faixa muito estreita dessas ondas eletromagnéticas.

Fotografia e cinema: Espectro de luz visivel

Espectro de luz visível

A radiação que vemos de todas as coisas ao nosso, com todas suas cores encontra-se dentro desta estreita fração do espectro eletromagnético. A luz visível tem o seu comprimento de onda que varia de aproximadamente de 400 á 700 nanômetros. Cada fonte de luz emite uma proporção diferente de energia em comprimentos de ondas diferentes, do espectro visível.  A cor depende não apenas do objeto, mas também da fonte da luz e do observador.

 

Fotografia e cinema: Fonte de luz e o Observador
Fonte de luz e o Observador

A luz branca é formada pelas luzes vermelha,verde e azul. Na verdade quando um feixe de luz branca atravessa um prisma, a luz se separa em cores primárias e secundárias.

 

fotografia e cinema - prisma
Prisma

Se pegarmos a luz branca vinda do sol e adicionarmos refração através de um prisma, neste caso gotas de chuva, dividiremos a cor branca em cores criando um “arco-iris”.

 

Fotografia e cinema: Arco-Iris
Arco-Iris

A Cor

Pessoas diferentes percebem  cores de modos diferentes e existem várias razões para isto. A cor é associada a preferência e recordações pessoais. Agora vamos examinar mais de perto a cor das coisas. O preto ocorre quando um objeto absorve toda a luz que chega até ele, sem refletir nenhuma luz.

 

Imagem7
A visão da cor preta

O cinza ocorre quando todos os comprimentos de onda são refletidos igualmente, mas em um nível menor do que com o branco.

Visão da cor cinza
Visão da cor cinza

O matiz das cores ocorre quando alguns comprimentos de luz são refletidos mais que os outros. A maioria das cores que vemos não consiste num único comprimento de onda. As cores geralmente são combinações de muitos comprimentos das ondas do espectro.  A próxima imagem os comprimentos de onda vermelho são refletidos mais que os outros.

Imagem9

Dando a rosa a aparência de vermelha.

10

Entretanto se rosa for vista sob outras fontes de luz sua cor poderá aparecer diferente

Imagem11

As cores primárias são os blocos construtores da côr. Existem dois sistemas básicos para se produzir côr:

– Sistema Aditivo de Cores

– Sistema Subtrativo de Cores

Fotografia e cinema

 

O sistema aditivo de cores que reproduz as cores, através da adição de luzes coloridas  possui três cores primárias:

Imagem13

 

As três cores subtrativas primarias “que também são as cores secundárias do sistema aditivo” são:

Imagem14

A superposição ou a adição de um feixe de luz vermelha, verde e azul, consegue produzir luz “branca”. Observe que em áreas onde a superposição de duas cores “primárias”, aparece uma cor uma cor “secundária”:

Fotografia e cinema

O disco de cores oferece um outro modo de ver a relação entre as cores primárias aditivas e subtrativas com suas cores secundárias entre elas.Diante de cada côr no disco de cores aparece sua cor complementar por exemplo:

Imagem16

Por enquanto é isto meus amigos!

No próximo post vamos tratar da temperatura das cores.

Abraços a todos!

Fernando Rozzo

 

Post anterior

Nikon anuncia três novas lentes

Próximo post

Como Tirar Boas Fotos de Comida?

O Autor

Fernando Rozzo

Fernando Rozzo

Fernando Rozzo trabalha no mercado de vídeo e cinema há 32 anos. Começou sua carreira nos anos 80, fazendo parte de uma das mais importantes produtoras de vídeo de São Paulo, a Olhar Eletrônico, onde trabalhou ao lado de Fernando Meirelles e Marcelo Tas, atuando como câmera, ass.de câmera e programador musical dos programas Olho Mágico (Ernesto Varela) e Cri-Há (Bobmackjack). Em 1987 na TV Gazeta-SP, dirigiu e produziu os programas DJTV, Edição Especial, Clip Trip e Night Clip. Na área de cinema publicitário atuou nas principais produtoras tais como: Chroma Filmes, 5.6, TVC, Vídeo Filmes, O2 Filmes entre outras.
Hoje atua no mercado de cinematografia digital como professor e consultor técnico. Na área pedagógica ministra a mais de 10 anos cursos e treinamentos para emissoras de TV, locadoras de equipamentos, produtoras de vídeo, museus, escolas e faculdades. Entre elas: MASP (Museu de Arte de SP), Mackenzie, Metodista, Fazendo Vídeo Cursos, TVE-Salvador, KN Vídeo-RJ, Studio Motion Treinamentos, Full Digital, JKL, Rentalcam, Bureau Cine e Vídeo.
Entre 2014 e 2015, prestou serviços de consultoria técnica para Sony Latin America para a divulgação no Brasil da linha de câmeras fotográficas "A7 / A7r / A7s / A99 e A77" e para linha de câmeras de ação "ActionCam".
Atualmente juntamente com a artista multimídia Regina de Barros é proprietário da produtora “Ottica AudioVisual”, especializada em documentação e produção de conteúdo no segmento das artes, é a editora da revista multimídia digital mensal:
“Ottica Art Magazine! ”