Vencedor de concurso de fotografia recusa prêmio; entenda o motivo

0 386

A oportunidade de conquistar um prêmio em concurso de fotografia com renome semelhante ao Sony World Photography Award é algo que todo profissional certamente almeja, independente do seu segmento. Entretanto, o artista alemão Boris Eldagsen utilizou essa chance para fazer um alerta justamente no que seria para ser o momento de sua consagração na categoria batizada como Criativa.

Boris participou do renomado concurso de fotografia como qualquer outro candidato e apresentou a obra batizada de Pseudomnesia: The Electrician (“Pseudomnésia: O Eletricista”, em tradução livre). Entretanto, antes de receber oficialmente a honraria, Boris surpreendeu os organizadores do concurso e anunciou que recusava o prêmio pelo fato de ter inteiramente produzido a obra através de Inteligência Artificial (IA).

premio-mundial-de-fotografia-da-sony-tera-nova-categoria-em-2020-Blog-eMania-04-07
Foto: Divulgação

Ao ser questionado sobre a motivação, o profissional alemão apontou que sua atitude teve como principal intenção provocar o debate sobre o papel e até mesmo os riscos do uso excessivo de IA em obras de arte.

“Agradeço pelos jurados selecionarem minha imagem e tornar este momento histórico. Será que eles sabiam ou suspeitava que (esse trabalho) era gerado por IA? As imagens de IA e a fotografia não devem competir entre si em um prêmio como este. Elas são entidades diferentes. IA não é fotografia. Portanto, não aceitarei o prêmio”, afirmou Boris.

Do lado dos organizadores do concurso de fotografia, um porta-voz apontou que existia a ciência de uma certa influência da Inteligência Artificial na obra. Entretanto, quando de uma conversa direta entre as partes, Boris teria alegado que a foto premiada era fruto de seu conhecimento fotográfico.

vencedor-de-concurso-de-fotografia-recusa-premio-entenda-motivo-Blog-eMania-1
Arquivo Pessoal

“A categoria criativa da competição aceita várias abordagens experimentais para a criação de imagens, desde cianótipos (técnica que produz fotos com tom azulado) e radiografias até práticas digitais de ponta. Como tal, seguindo nossa correspondência com Boris e as garantias que ele forneceu, sentimos que sua inscrição preenchia os critérios para esta categoria e apoiamos sua participação. Além disso, estávamos ansiosos para participar de uma discussão mais aprofundada sobre este tópico e saudamos o desejo de diálogo de Boris, preparando perguntas para uma sessão de perguntas e respostas com ele em nosso site. Como ele decidiu recusar seu prêmio, suspendemos nossas atividades com ele e, a pedido dele, o removemos da competição”, detalhou o representante do Sony World Photography Award.

E você, acha que o fotógrafo teve a abordagem correta? Pensa que a atitude dele foi prejudicial a uma premiação de tamanho prestígio? Deixe sua opinião nos comentários!

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.