Home»Dicas de Fotografia»Câmeras e Lente Canon: Luz e Cor !

Câmeras e Lente Canon: Luz e Cor !

3
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

http://blog.emania.com.br/profissao-fotografo-os-desafios/Para quem este artigo é indicado?

  • Para fotógrafos.
  • Para amantes da fotografia.
  • Para estúdios de fotografia.

Introdução ao tema

O que seriam das fotografias se não existisse câmeras e lentes de qualidade?

Para fotografar bem, é preciso entender como funciona a luz e como se deve captá-la. Sem luz, não existira fotografia.

Se você está em busca de compreender melhor sobre as cores e luzes que influenciam intensivamente o resultado de uma boa fotografia, então, veja as dicas de hoje!

Nessa matéria você aprenderá sobre:

  • O que é a luz?
  • A natureza da luz
  • Cor e percepção visual.

 

  1. O que é a luz?

A luz é resultado de um fenômeno causado pelas ondas eletromagnéticas, que atuam no intervalo de tempo de cada onda do infravermelho a ultravioleta, gerando assim esse efeito visual bonito.

As diferenças de cores

A título de informação para o fotógrafo, a luz visível é correspondente à faixa de comprimento perante as ondas que podem ser vistas pelo olho humano, na proporção de 380nm a 700nm.

As diferenças que ocorrem nos comprimentos de onda da luz visível, podem ser vistas também como diferenças de cores, e são chamadas de espectro, a descrição continuada.

A luz elétrica ou a luz solar que cotidianamente vemos, é uma mistura de cores produzidas pelas luzes, que possuem diversos comprimentos de ondas.  Nesse caso não é possível distinguir cores específicas. Já a luz que contém uniformidade em todos os comprimentos da onda, e que alcança a luz visual é chamada de luz branca.

Embora, apenas uma parte do espectro tenha a capacidade de fazer o olho humano detectar a luz quase branca. Citando exemplo da tela de TV, que possui 3 tipos de comprimento de onda para que seja gerado a tonalidade branca, são elas: as cores azul, verde e vermelho.

As luzes cujos os comprimentos de ondas ficam fora do espectro visível, ou seja, do espectro humano – são luzes consideradas invisíveis aos olhos.

Já as luzes cujos os comprimentos de ondas são mais curtos, são chamadas de luzes ultravioletas, porque estão fora da extremidade roxa do espectro.

Enquanto que as luzes de comprimento mais longo, recebem o nome de luzes infravermelhas, porque se localizam fora da extremidade vermelha do espectro.

Apenas as luzes visíveis podem ser fotografadas?
cameras

Na verdade, apenas a luz visível pode ser usada para fotografia comum, embora as câmeras Canon possuam uma sensibilidade maior, gerando fotografias mais bonitas e por isso, o sensor de imagem que tem a característica em detectar raios infravermelhos e ultravioletas, também podem causar tonalidades de cores nas imagens disparadas, nesse caso o filtro deve estar ligado no sensor da imagem, a fim de bloquear os comprimentos de onda desses raios que não se percebe com facilidade.

  1. A natureza da luz

A luz produzida pelas câmeras e lentes possui quatro características físicas, são elas: refração, dispersão, reflexão e difração.

Ocorre refração quando a luz tem de viajar no vácuo ou também quando o ar passa de um objeto ou matéria, para o outro, exemplo: vidro ou a água. Dessa forma a luz mudará de direção, sendo assim chamado esse fenômeno como refração.
cameras-3

Já na dispersão, a luz atuará dependendo do comprimento da onda, ou seja, quando a luz branca que na verdade é uma mistura de luzes com diversos comprimentos de ondas diferentes, passa através de um prisma, isso cria um espectro de cores que sofrem uma difusão.  Esse fenômeno produz um arco-íris de luzes coloridas e assim é chamado de dispersão, pois consegue dispersar as tonalidades.
cameras-4

A reflexão ocorre quando especificamente a luz entra em contato com uma superfície lisa e reflete no mesmo ângulo, como é de costume ver em muitas fotografias as sombras visuais.
cameras-5

Já na difração o fenômeno ocorre quando a luz precisa enfrentar um obstáculo, ou seja, passa por meio de uma extremidade, um obstáculo que é considerado como uma fenda (fazendo assim um desvio). Então a luz segue ultrapassando esse obstáculo e seguindo para trás da fenda, como se fosse uma onda, atingindo, portanto, diversas áreas.
cameras-6

  1. Cor e percepção visual através das câmeras Canon

O olho humano é um órgão espetacular, que permite determinada sensibilidade diante as cores e também quanto a luz que é emitida. Quando a luminosidade atinge o olho, a íris ajusta essa quantidade, focando para a lente cristalina, de maneira que a imagem passa a ser formada sobre a retina.

Assim a luz é percebida por muitas células visuais, que enviam sinais elétricos para a parte cerebral, através do nervo chamado óptico. Dessa forma o corpo processa as informações recebidas da imagem para que elas se tornem passíveis de reconhecimento, ou seja, visíveis.

As células chamadas cones, são responsáveis por reconhecer cores e também podem ser divididas em três categorias com base em diferentes formatos. Nessa distribuição de sensibilidade já falada, e com relação ao espectro de luz visível, o ser humano pode reconhecer essa diferença nos valores do estímulo diante os três tipos de células cones, bem como as diferenças nas cores.

As células bastonetes não possuem nenhum papel na visão de cores, mas também são muito sensíveis à luz, mais do que as células cones, e, portanto, possuem responsabilidade no reconhecimento do brilho.

Nas condições onde a melhor iluminação, como durante o período do dia, os seres humanos olham para os objetos, usando a função das células cones.

Já quando o ambiente se torna mais escuro, a tendência é que o ser humano seja capaz de capturar a luminosidade através de seu brilho.

É aí que entra o papel das células bastonetes, que apoia à condição de enxergar o ambiente e tudo o que está ao seu redor, mesmo quando há pouca luz. As células bastonetes trabalham na frente das células cones nesse caso, justamente para permitir que se possa visualizar as imagens. Por esta razão que há incapacidade de reconhecer as cores em ambientes de escuridão.

Conclusão

Entender como se processa as cores e luzes para fotografar melhor, é uma estratégia dos excelentes profissionais da área de fotografia e por isso, é necessário estar atento as informações pertinentes ao assunto!

Veja nas próximas matérias, mais a respeito de:

  • Três cores primárias de luz.
  • Três cores primárias para a cor.
  • Cor da fonte de luz.
  • Cor do objeto.
  • Interpretação quantitativa.
  • Espaço de cores e sistema de cores.

Curta e compartilhe e até a próxima!

Comentários

comentários

Post anterior

8 perguntas a se fazer na hora de fotografar

Próximo post

Conheça os equipamentos necessários para fotografias de viagens