Home»Artigos de Foto e Vídeo»Saiba usar os histogramas a seu favor

Saiba usar os histogramas a seu favor

eMania
12
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

Você já deve ter se perguntado o que são aqueles gráficos que aparecem no visor da câmera fotográfica, ou nos programas de edição de imagens, não é mesmo?
É mais comum ignorá-los e continuar com o trabalho do que pesquisar e tentar entender para que eles servem. Mas o Blog eMania está aqui para te explicar tudo sobre esses gráficos que são chamados de histogramas, de maneira fácil e descomplicada. Aqui você vai saber qual é a função deles e qual é o modelo ideal.
Os histogramas, se compreendidos, podem mudar a maneira como você faz suas fotos.

Os histogramas e o visor da câmera fotográfica

Os histogramas são vistos, muitas vezes, como uma função sem sentido que atrapalha o visor da câmera profissional na hora de fazer uma imagem. Porém, o histograma deve ser visto como um aliado, pois ele mostra ao fotógrafo se a imagem vai sair clara, ou escura demais e o gráfico te dá a informação de quando a iluminação estiver balanceada.

Ao contrário do que muitos pensam, a imagem que aparece no visor pode não ser correta. Em muitos casos, olhar para a telinha da câmera não é o suficiente para saber se a foto está muito clara, ou muito escura, por exemplo. Isso acontece porque a tela é muito pequena e alguns detalhes de iluminação podem passar despercebidos.

Outro problema que pode acontecer é que o brilho do visor pode estar muito alto para que o fotógrafo consiga ver em ambientes claros. Sendo assim, as imagens podem parecer mais claras do que elas realmente vão sair após o disparo da câmera.
A função dos histogramas, então, começa aí: são esses gráficos que vão mostrar a situação real da imagem a ser feita, e não da que está sendo vista no visor da câmera. Analisar os histogramas antes de disparar o botão pode ser muito útil para o resultado final.

histogramas

Como se faz a leitura dos histogramas?

Esses gráficos são divididos por regiões. O lado esquerdo representa os tons escuros da imagem. O meio, os tons médios. E no lado direito ficam os tons mais claros. Os histogramas, então, são divididos em uma escala que vai do preto ao branco, da esquerda para a direita.
Não é difícil analisar as informações apresentadas nos histogramas. As partes mais escuras, chamadas de low key, fazem o gráfico ficar concentrado na esquerda, enquanto que uma imagem com iluminação balanceada apresenta um gráfico distribuído.
A análise é simples: se o histograma de uma foto estiver concentrado em apenas um dos lados, talvez seja preciso ajustar as configurações de iluminação e fazer a imagem novamente.

landscape histogramas

High key e low key

Entretanto, antes de fazer essa avaliação, é preciso analisar o ambiente fotografado. Por exemplo, se uma foto for feita em um local com muitos tons brancos e poucos tons escuros, os histogramas vão mostrar dados mais concentrados no lado direito, apresentando uma imagem “high key”. O cuidado que o fotógrafo pode ter é avaliar se essas áreas brancas estouraram na fotografia. Pra isso, é só olhar o canto na extrema direita do gráfico. Se ele estiver muito alto, provavelmente o brilho do branco estourou a foto, já que essa informação no gráfico mostra os pixels de branco puro.
No caso de fotografias com predominância de tons escuros, como um fundo preto, ou pouca iluminação, os histogramas vão apresentar praticamente as mesmas informações do caso anterior, só que deslocados para o lado esquerdo, representando as imagens “low key”.
Nos dois casos é preciso levar em consideração as condições de cores e iluminação, por isso é normal histogramas desequilibrados.

Histogramas em fotografias de silhuetas

Nos casos de fotografias que aparece apenas a silhueta do elemento retratado com o fundo claro, os histogramas ficam concentrados mais nas duas pontas externas dos gráficos, já que essa “pose” faz com que as tonalidades fiquem muito desequilibradas. Mas não quer dizer que a foto está errada, e sim, mostra o estilo dela.
A mesma situação acontece em imagens com contraste alto, nas quais há a presença de tons muito claros e tons muito escuros ao mesmo tempo. Nessas situações, os gráficos ficam em formato de “U”.
O contrário disso também acontece, em imagens de pouco contraste que existe pouca incidência de preto e branco puro. O baixo contraste faz com que os gráficos fiquem concentrados no meio devido à ausência de tons muito claros e muito escuros.

histogramashistogramas

Qual é o histograma ideal?

Não existem histogramas ideais, já que como vimos no decorrer do texto, tudo vai depender da proposta da sua imagem. Se você quer produzir uma foto low key, high key, de alto, ou baixo contraste, você já sabe como seu histograma deve ficar. Assim como uma foto com iluminação balanceada, que deve apresentar histogramas bem distribuídos tanto à esquerda, quanto à direita e ao centro.

Post anterior

Como a biologia pode lher ajudar em sua composição cinematográfica

Próximo post

16 lições que cineastas renomados aprenderam em seus filmes