Home»Dicas de Fotografia»Fotografia como negócio

Fotografia como negócio

eMania https://blog.emania.com.br/content/uploads/2015/05/logotipo.png
eMania
4
Compartilhamentos
Pinterest Google+ WhatsApp

Ser fotógrafo hoje já não é mais o suficiente para quem quer empreender nesse segmento, é necessário muito mais bagagem no cenário Brasileiro que estamos vivendo, ser um bom administrador, ter um ótimo financeiro, ser um excelente vendedor, é o tripé da fotografia hoje, obviamente que isso deve vir carregado de muito estudo, um olhar fotográfico incrível e o desejo, vontade e coragem de ser bem sucedido.

Assim começou nossa história, muito prazer meu nome é Natália Beatriz, Fotógrafa, Esposa, Mãe e apaixonada por cada pixel desta vida e Kleber Filhinho, Marido, Pai, Fotógrafo e Filmmaker e vivendo cada frame com muita alegria.

Nós já tentamos ser empresários outras vezes, mas fracassamos pela falta de instrução, chegamos a ter uma empresa de representação de vendas, que depois de alguns meses virou assessoria cerimonial e voltou a ser representação comercial e nesse tempo todo não conseguimos um cliente se quer, faturamento R$0,0 ZERO. Aquele tripé que mencionei acima é muito importante para o desenvolvimento do seu negócio e sucesso, e isso não nos abateu, apenas nos impulsionou. Em toda nossa história acredito que foram 5 ou 6 tentativas de abrir um negócio.

Eu sempre trabalhei como secretária, e tive o prazer de trabalhar em uma escola de fotografia, amor a primeira vista, bem ali, sem imaginar era o primeiro passo rumo ao sucesso. Kleber tirou a sorte grande de trabalhar ao lado de um visionário que o ensinou a como se tornar um empresário de sucesso, o qual agradecemos por todo esforço e dedicação; Fábio Affonso presidente do grupo MaxPRO.

Quando engravidei, sabia que era o momento de empreender, pois nosso desejo sempre foi de poder educar nosso filho de perto. Então uns meses após o nascimento do Pedro, buscava algum ramo para empreender, não queria voltar a trabalhar fora, mas buscava algo em que eu pudesse continuar a educar meu filho de perto, que me satisfizesse profissionalmente e é claro suprisse nossa família financeiramente. Pedi a Deus que mostrasse esse ramo ao Kleber.

Um dia o Kleber me ligou e perguntou: Amor, você gosta de fotografia? E eu respondi: sim é claro. Mas não imaginava os planos do Kleber.

Quando chego em casa me deparo com 2 câmeras digitais, ainda não entendíamos nada, já fazia muito tempo que havia trabalhado na escola de fotografia, então me apaixonei logo de cara. Mesmo sem saber as qualificações da câmera, não fazia ideia como mexer, como ligar, como configurar, nem mesmo bater uma simples foto.

O Kleber comprou no escuro, também não fazia ideia do que estava adquirindo, ele sempre foi o propulsor de ideias, sempre brinco que ele é o “Francisco, pai do Zézé di Camargo e Luciano” doido e cheio de esperança e coragem, sempre acreditou em mim.

Ele comprou uma D90 da Nikon e uma Fujifilm amadora, câmera de viagem, fala sério, para quem não entendia absolutamente nada, aquilo era o mais top do mercado!

As palavras do Kleber ao me presentear com as câmeras: “Natália, a partir de hoje você é fotógrafa, vai deixar o emprego, vai estudar e tudo que aprender você vai me ensinar.” Não tínhamos dinheiro para pagar cursos ou participar de workshops, a princípio não sabíamos nem por onde começar, o Kleber sempre foi do método: Fazer mais com menos, aprendeu isso na empresa onde trabalhou por 6 anos como assessor de expansão, então ele me disse, vamos ter que crescer com aquilo que temos em mãos, que naquele momento era a internet. Chegamos em um ponto crucial da história para aqueles que querem crescer ou iniciar um negócio mas justifica que a falta de dinheiro é o que impede, a internet é uma ferramenta muito poderosa e cheia de informações produtivas, posso dizer que aprendi grande parte do que sei hoje devido a aulas e cursos que fiz online, foram milhares de horas em frente ao computador estudando e até hoje tiro algumas horas para estudar via web, grandes nomes da fotografia no Brasil e no mundo compartilham seu know-how na web e isso deve ser aproveitado da melhor forma possível.

Um fato muito engraçado e na época que me deixou com muito medo, foi que o Kleber no mesmo dia em que me presenteou com as câmeras, entrou no meu facebook e alterou o nome de Natália Beatriz, para: Natália Beatriz Fotografias, imagina meu pavor, mas hoje percebo que aquilo era um estratégia que ele estava usando para me encorajar e não desistir.

É mais fácil se apoiar em alguém e caminhar, mas quando você é o apoio tudo fica mais complicado, estava em minhas mãos a tarefa de fazer tudo dar certo, pois o Kleber continuara em seu emprego para ser o nosso sustendo enquanto eu me qualificava para o negócio.

Com uma Nikon D90 e uma lente do KIT – 18-55 – comecei minha jornada pela fotografia, tudo que aprendia fui ensinando ao Kleber. Assim em um prazo de 6 meses eu já estava ganhando dinheiro com a fotografia e assim comprei minha primeira câmera com o suor do meu trabalho, uma Nikon D3100 a qual eu retribui o presente e dei para o Kleber trabalhar.

Quando o negócio começou a fluir, isso 7 meses após o Kleber me presentear com as câmeras, ele então deixou de ser funcionário para se juntar a mim no empreendedorismo, saímos da informalidade e abrimos nosso  CNPJ, e montamos nosso escritório HomeOffice, assim reduzíamos os custos e podemos educar o Pedro de perto. Porém ainda havia dogmas a serem quebrados, pois enquanto o Kleber tinha uma visão empreendedora do negócio de fotografia, eu via tudo como uma paixão, eu não olhei para o futuro, olhei apenas pelo visor da câmera “Meu Deus do céu” casamento!? É muita responsabilidade e muita loucura ser ousado assim, mas eu disse que ele é Francisco, entramos em um processo terapêutico, rsrs, pois eu precisava entender aquilo como negócio para vida e não me esconder em meu comodismo, fotografar crianças me trazia muita segurança, é um excelente negócio e tem uma alta lucratividade, porém o Kleber conhecia meu olhar fotográfico e sabia do meu potencial, não foi fácil passar por essa transição, do medo e insegurança para a coragem e total confiança em mim.

Com apenas uma semana a dupla dinâmica já tinha site, perfil profissional no facebook, youtube, e todas as redes sociais imagináveis, a busca ou caçada pela primeira noiva havia dado a largada, até que rebemos uma indicação de uma noiva que estava precisando de fotógrafos, maravilha! Deixa com a gente! Não podíamos ser gananciosos, pois não tínhamos portfólio e tampouco experiência em cobertura de casamento. Fechamos o casamento pela bagatela de R$300,00, apenas as fotos em um DVD (Fotógrafos piram). Pronto, não coloque barreiras para seu sucesso, 1 casamento foi o suficiente para aplicarmos o primeiro item do nosso tripé: VENDAS! A partir desse casamento surgiu a indicação para o segundo casamento, ainda estávamos no início então cobramos R$500,00.  E quando fazíamos o segundo casamento já estávamos com o terceiro casamento fechado, esse mais completo e ousado, incluso o famoso ensaio Pré-Wedding. Quando vimos a satisfação dos clientes com o resultado do nosso trabalho percebemos que estávamos no caminho certo.  Em 3 meses pulamos de R$300,00, R$500,00, R$1.400,00 para R$2.200,00. E em cada mudança nos valores e conteúdo do nosso pacote de serviço era um sofrimento danado para mim. Como disse sou muito a emoção, achava que não íamos vender nada se aumentasse o valor, e então o Kleber começava o trabalho terapêutico em mim, me tornar não só fotógrafa, mas uma empresária. Assim que notávamos o aumento da procura na venda por determinado preço, sabíamos que era a hora de valorizar a nossa marca e a nós mesmos, e em 1 ano de trabalho nosso preço já estava fixado por volta de R$3.500,00.

Aliado a isso, buscávamos uma maneira de unir os profissionais de fotografia da cidade e também uma patente nacional. Há muitos selos de reconhecimento do trabalho fotográfico, mas são internacionais, e queríamos algo da nossa terra, da nossa pátria. Foi então que conhecemos a CONFOTO (Confederação Brasileira de Fotografia), e assim demos início a nossa filiação à CONFOTO. Foram meses de correrias burocráticas para enfim conseguirmos finalmente nos tornarmos os primeiros fotógrafos de Piracicaba membros da CONFOTO e juntamente trazer para nossa cidade a primeira Associação de Fotógrafos filiada a CONFOTO, onde o Kleber é o presidente, e contamos com 17 incríveis fotógrafos.

Lembrando que nem tudo é ouro, é o momento de definirmos o restante dos tripés ADMINISTRAÇÃO e FINANCEIRO, falar que vende a R$3.500,00 no primeiro ano é fácil, difícil é fazer as contas baterem, pois a estratégia de vendas era ter um número absurdo de parcelas para que isso facilitasse o cliente fechar negócio, porém tínhamos uma ótima administração e um péssimo financeiro, as contas não fechavam pois a inadimplência era alta, foi o momento de reinventarmos nosso TRIPÉ, criamos um modelo de negócio seguro onde todos os elos do tripé entravam em acordo e isso foi nossa ascensão.

Para você leitor que chegou até aqui, lembre-se faça com que todos os elos de seu negócio se unam para que você consiga administrar com sucesso seu negócio no ramo fotográfico.

Com a expansão de nossa empresa, começamos a investir em nossos equipamentos fotográficos, e o investimento passou os R$80.000,00, certa vez Kleber fez um curso onde o fundador da rede O Boticário dizia: É melhor ter um franqueado dirigindo um gol quitado, do que um franqueado dirigindo um carro de luxo totalmente endividado. Nossa base está ai, qual a prioridade? No nosso caso sempre foi o ganha pão, então todo dinheiro deve ser destinado a fundos de emergência, investimento em máquinas e acessórios de foto e vídeo, contas empresariais, contas pessoais o luxo de por exemplo trocar de carro, nunca foi e ainda não é uma prioridade, seja zeloso com o que tem e lembre-se faça Mais com menos. É preciso saber a não dar um passo maior que as próprias pernas.

Ao passar dos anos conquistamos nossa fatia desse mercado sensacional do ramo de casamentos, hoje a cidade já nos acolhe, os clientes confiam em nosso trabalho e conhecem de perto nossa maneira de trabalhar, hoje já com os tripés definidos e muito bem estruturado, conseguimos trabalhar envolvendo um segundo tripé que é: Amar, Recordar e Emocionar, estão estampados inclusive em nosso logo. Lembra o medo de casamentos? Pois então, com muita dedicação em quebrar os dogmas de minha cabeça, hoje não sei o que seria de mim sem os enlaces matrimoniais os quais registro, a coragem superou o medo e hoje sou uma fotógrafa profissional e exclusiva de casamento, ao passar dos anos o Kleber se qualificou e hoje é profissional de foto e vídeo o que ampliou nossos pacotes e aumentou o faturamento.

Nossos primeiros álbuns eram desastrosos, com pacotes de R$300,00 – R$500,00 não dá para oferecer muita coisa, imediatamente voltamos ao início, partiu YOUTUBE e aprender diagramação, vamos profissionalizar isso. E foi assim, do desastre ao luxo, hoje temos um parceiro em confecções de álbum que já nos garantiu álbuns de luxo prontos em 17 dias, já viu isso?

Assim como o álbum, tínhamos um déficit em edição de vídeos, enquanto o Kleber tinha excelente imagens capturadas de um casamento, não sabíamos como fazer as edições, terceirizávamos esse trabalho, os vídeos ficavam lindos e perfeitos, porém, como conversar com um cliente a respeito das edições feitas sendo que não tínhamos nenhum controle sobre isso? Voltamos ao inicio, para você caro leitor que deseja ser um empreendedor, saiba que é preciso conhecer e saber executar cada parte do seu negócio, um dono de uma hamburgueria precisa saber fritar os hambúrguers também, (Lembre-se: O olho do dono é que engorda os porcos). E lá vamos nós, o Kleber pegou 3 cenas de vídeo feitas em um casamento e começou a trabalhar nas edições, eu vi sua frustração pois foi 7 dias e as 3 cenas não tomava forma, segundo ele não entrava em sua cabeça o método de trabalho do programa, e ele não poderia desistir pois já havia contratado o sistema por 12 meses no cartão de crédito, está ai um outro incentivo, não inicie seu negócio com sistemas piratas, se você acha que merece ter lucratividade, porque não os proprietários daquilo que te faz ganhar dinheiro?! Voltando ao Kleber, a revolta foi tão grande que ele sentou e disse: Deus só saio da frente do PC quando eu aprender definitivamente fazer um vídeo, pessoal, acredito fielmente que Deus reclinou sua cabeça para o Kleber e disse: Arrebenta então meu filho! Rs… realmente ele conseguiu e após fazer seu primeiro vídeo de casamento, chorou como criança, pois ali era o último elo a ser fechado, estávamos com total controle dos nossos negócios.

Hoje com centenas de clientes, agradeço a Deus, pois quando iniciamos essa jornada entregamos em suas mãos o total controle da empresa e de nossas vidas, trabalhar com casamentos é participar de algo divino, uma instituição divina, uma família que está nascendo e deve-se ter muita sensibilidade ao trabalhar com sentimentos.

Ao empreender na Fotografia de casamento, alcancei uma satisfação profissional que não imaginava ser possível, além de trabalhar ao lado da pessoa que eu amo e escolhi para viver o resto da minha vida e ainda podemos estar presentes na vida de nosso filho como sempre desejamos.

Com quase 5 anos de negócio temos um faturamento extremamente expressivo, se analisarmos que não houve know-how, não houve uma estrutura de gerenciamento que poderíamos seguir, nunca passamos por crise, passamos pela crise com unhas e dentes, não deixamos ela nos pegar, como fazer isso? Em momentos difíceis é hora de reinventarmos o nosso modelo e plataforma de negócio. Hoje alcançamos novas visões para a nossa empresa, oferecemos pacotes com viagens internacionais, onde buscamos trazer experiências marcantes e recordações incríveis aos nossos clientes, levando-os a um nível de emoção e sentimentos que jamais serão esquecidos. Deixarei nossos contatos no final para que você fale conosco e saiba como estruturar seu negócio.

Post anterior

Cem anos de Irving Penn, o fotógrafo do trânsito entre o real e a fantasia

Próximo post

Quatro imagens que farão você admirar e despertar sentimentos diversos

O Autor

Nizar Escandar

Nizar Escandar

Editor Chefe do Blog eMania